Record

CNID repudia ataque a jornalistas

TSF também emitiu um comunicado a propósito do caso dos emails

O CNID – Associação dos Jornalistas de Desporto emitiu esta quarta-feira um comunicado onde manifesta "o seu repúdio pelo mais recente ataque aos jornalistas e colaboradores desportivos". Em causa está a divulgação de "e-mails privados que colocam em causa a integridade de um conjunto de jornalistas, alguns deles dos mais destacados da nossa classe". 

Também a direção editorial da rádio TSF, que viu o nome de um dos seus jornalistas envolvido, emitiu um comunicado contra as "insinuações graves e, sobretudo, falsas" que são feitas.

Relacionadas

Eis o comunicado do CNID:

O CNID – Associação dos Jornalistas de Desporto não pode deixar de manifestar o seu repúdio pelo mais recente ataque aos jornalistas e colaboradores desportivos, no caso através da divulgação de e-mails privados que colocam em causa a integridade de um conjunto de jornalistas, alguns deles dos mais destacados da nossa classe.

O CNID – Associação dos Jornalistas de Desporto tem a obrigação, de acordo com o artigo 3.º dos seus Estatutos, de defender o bom nome desses profissionais, vilmente expostos na praça pública.

Esperamos que as autoridades possam estabelecer inequivocamente a falsidade do e-mail em questão, porque se ele tivesse chegado a uma só pessoa que fosse já estaríamos perante uma situação muito grave, gravidade que aumenta quando é tornado público, pondo em causa aquilo que de mais sagrado tem um jornalista: a sua honra e a sua credibilidade.

A classe tem sido muito atacada, chegando-se ao ponto de confundir comentadores com jornalistas profissionais, quando estes têm a obrigação de observar um código deontológico e estão obrigados a um regime de incompatibilidades imposto por lei da República.

Este caso concreto obriga os jornalistas desportivos a terem atenção redobrada aos seus deveres profissionais e aos princípios do Jornalismo.

Recentemente, o Conselho Deontológico do Sindicato dos Jornalistas lembrou que "o jornalista deve recusar funções, tarefas e benefícios suscetíveis de comprometer o seu estatuto de independência e a sua integridade profissional. O jornalista não deve valer-se da sua condição profissional para noticiar assuntos em que tenha interesse".

Este princípio, que vincula deontologicamente os jornalistas, deve ser tido em conta por cada um, caso a caso, no seu trabalho quotidiano. Ele abrange todas as situações que possam pôr em causa "o seu estatuto de independência e a sua integridade profissional".

O Conselho Deontológico defende que a questão não abrange apenas relações de proximidade pessoal ou familiar com as fontes, os agentes e os implicados nas notícias e outras peças jornalísticas, mas também as situações em que o jornalista sinta que a sua isenção possa ser posta em causa por terceiros, por motivos de proximidade.

Pela Direção do CNID – Associação de Jornalistas de Desporto

Manuel Queiroz

Presidente

Lisboa, 3 de janeiro de 2018

Eis o comunicado da TSF:

Esta terça-feira foi divulgado na internet um alegado email enviado, alegadamente, pelo comentador televisivo, Carlos Janela, para a direção do Benfica.

Esse alegado email comporta, em si mesmo, insinuações graves e, sobretudo, falsas, sobre a TSF e sobre os profissionais que aqui trabalham, numa tentativa de associar estes profissionais a práticas violadoras da ética profissional de um jornalista.

Perante isto, a Direção Editorial da TSF, vem por este meio esclarecer que:

1º - As insinuações que vieram a público pretendem apenas denegrir, de forma gratuita, um órgão de informação com 30 anos de história e com provas dadas na informação em Portugal.

2º - Em 30 anos de história, a TSF pautou-se sempre, e continua a pautar-se, pelo estreito cumprimento das mais elementares regras do jornalismo, da ética e da deontologia desta profissão.

3º - Esta forma de estar no jornalismo, só é possível graças aos profissionais que fizeram e fazem a TSF de hoje, em quem a Direção Editoral confia plenamente pelo empenho que demonstram, todos os dias para levar aos nossos ouvintes e leitores, a melhor informação, de forma isenta e com um profissionalismo a toda a prova.

4º - A TSF nada tem a ver com as guerras no mundo do futebol, a não ser pelo seu dever de informar o público, com rigor, isenção e cumprindo o dever de só veicular factos e respeitando sempre o direito ao contraditório.

5º - A TSF confia em todos os profissionais que fazem esta rádio e continuará a cumprir aquela que é a sua principal missão: informar.

A Direção Editorial da TSF

3 de janeiro de 2018

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Fora de Campo

Notícias
M M