A PJ queria fazer buscas no Benfica, e também a Luís Filipe Vieira, a Pedro Guerra e ao assessor jurídico Paulo Gonçalves, no âmbito do processo dos emails revelados por Francisco J. Marques, da comunicação do FC Porto, avança a 'Sábado' na edição desta quinta-feira já nas bancas.

A operação foi montada em julho, mas recusada pelo juiz Jorge Marques Antunes.