Certamente já ouviu falar do tema central que aqui levamos até si, dada a sua crescente popularidade nos ginásios espalhados pelo país. Mas caso ainda não saiba do que falamos, não custa nada elucidá-lo, dado que a explicação é… curta e direta ao assunto, como o próprio CrossFit.

O norte-americano Greg Glassman é o grande mentor deste estilo de treino, cuja trademark nasceu em 2000. Caracteriza-se por uma variação de vários exercícios (levantamento de pesos, salto, elementos da ginástica, entre outros) feitos a uma intensidade relativamente alta e com pouco tempo de intervalo entre si. Pode estar cansado só de ler este parágrafo, mas acredite que o esforço compensa, dado que acaba por trabalhar várias partes do corpo em simultâneo numa única sessão.

E é essa a grande mais-valia do CrossFit. Impõe-se como uma alternativa válida aos treinos mais longos – tem entre 30 a 45 minutos, por norma – e trabalha a sua resistência, força, agilidade, flexibilidade, balanço e coordenação. Isto apenas para enumerar algumas áreas. E desengane-se quem acha que não podem existir várias maneiras de praticar CrossFit. Basta ver que uma das vertentes em maior ascensão é o CrossFit Yoga, que como o próprio nome indica funde a intensidade do primeiro com os exercícios característicos do segundo, ajudando principalmente à já referida flexibilidade.


Em Portugal, são cada vez mais as boxes (espaço próprio para este estilo, normalmente de pequenas dimensões e com um número limitado de pessoas a utilizá-lo por sessão). Tudo começou com uma primeira box instalada na zona de Palmela e, atualmente, já são centenas as opções no nosso país. Em Lisboa, por exemplo, tem pelo menos duas mãos cheias por onde escolher – podem ser consultadas aqui.

E para o fim deixamos-lhe uma curiosidade: lembra-se do fundador do CrossFit? Sim, Greg Glassman, esse mesmo. O sucesso da sua criação, pela qual ainda é o máximo responsável (detém 100% da empresa), tornou-o um dos maiores multimilionários do mundo do fitness, em pouco mais de 15 anos. Notável e um exemplo da filosofia É de Homem.