O golo anulado a Ricardo Horta no recente Benfica-Sp. Braga motivou queixas dos responsáveis bracarenses e uma resposta do Benfica. Mas a verdade é que as imagens do lance não dissiparam totalmente as dúvidas aos adeptos... nem ao vídeo-árbitro (VAR), desempenhado por Fábio Veríssimo. Por isso, a decisão do assistente foi considerada correta e não foi alterada.

Em cima do fim da 1.ª parte, o Benfica reclamou penálti por falta sobre Jardel. Caso tivesse recebido indicação do VAR, Carlos Xistra podia ter assinalado depois de apitar para o intervalo. Mas o VAR entendeu que não se tratava de um erro claro, até porque não se percebe se há também falta de Jardel

Apesar de ter acesso às imagens de todas as câmaras utilizadas na cobertura do encontro (à volta de 12, neste caso), a verdade é que o VAR não teve acesso a nenhum ângulo mais claro do que aquele que chegou aos telespectadores da BTV. Tudo porque Seferovic, o jogador do Benfica que poderá colocar em jogo Ricardo Horta, está longe do local onde se desenrola o jogo.

Na primeira repetição que foi exibida, com imagens da chamada ‘câmara do fora-de-jogo’, Seferovic nem sequer surge na imagem no momento do passe de Vukcevic, já que o ângulo está fechado na zona onde está a bola. A segunda repetição é da câmara que está no enfiamento da linha de baliza e, aí, é possível ver o suíço... ou parte dele, pois os pés também ficam fora do plano.

O certo é que a jogada é de muito difícil análise e, mesmo que houvesse uma câmara alinhada, seria muito difícil ter uma certeza. Tudo porque o movimento dos dois futebolistas é oposto (Horta corre numa direção, Seferovic na contrária) e basta uma fração de segundo na definição do momento do passe para que tudo possa mudar. Por isso, o lance foge sem margem para dúvidas àquilo que foi definido pelo International Board como alvo do VAR: um erro claro do árbitro.


Golo anulado ao Sp. Braga e vídeo-árbitro manteve decisão

Golo anulado ao Sp. Braga e vídeo-árbitro manteve decisão


Autor: Sérgio Krithinas