Com o regresso ao escalão principal no horizonte, o Aves está apostado em dar um passo decisivo para a concretização da meta traçada para esta temporada na casa do líder Portimonense. Com uma vantagem mais confortável para o 3º classificado, o Varzim, a equipa de José Mota tem a possibilidade chegar ao 1º posto, uma vez que a distância é só de dois pontos.

A atravessar um momento de forma bem distinto do Portimonense, desde que José Mota chegou, na 29ª ronda, o Aves recuperou seis pontos para os algarvios. Contudo, ainda mais importante foi o facto de ter aumentado para dez pontos a diferença face ao Varzim, o principal perseguidor na luta pela subida.

Os avenses procuram agudizar a crise da equipa de Vítor Oliveira, treinador que era a primeira escolha da SAD de Luiz Andrade para conduzir o ambicioso projeto de subida. O acordo esteve iminente, mas o projeto do Portimonense desviou Vítor Oliveira das Aves à última hora. Os destinos voltam a cruzar-se numa fase decisiva.

Título daria cor a projeto ambicioso

Ainda um maior peso simbólico do que subir ao escalão principal teria a conquista do título de campeão. Esse é um reconhecimento que os avenses ainda não conseguiram desde a criação do novo modelo da 2.ª Liga e que daria ainda mais cor ao projeto ambicioso que foi criado para esta temporada. Na sua história, a única vez que o Aves conseguiu o título de campeão foi em 1984/85, na extinta 2.ª Divisão. Desde então, conseguiu subir por mais duas vezes ao principal escalão do futebol português, mas sem conquistar Taças: em 1999/00 terminou no 3.º lugar e em 2005/06 foi vice-campeão.


Autor: Bruno Freitas