Duarte Anastácio e Manuel Dias, presidente do clube e responsável máximo pela mesa da assembleia geral (AG) , respetivamente, assumiram, ontem, a falta de diálogo com a SAD, bem como o incumprimento de algumas responsabilidades financeiras previamente definidas.

O anúncio aos sócios durante a sessão de esclarecimento que se realizou ao final da tarde de ontem, no Estádio do Mar, serviu também para a direção salientar que "nunca vai abdicar dos interesses do Leixões": "As relações institucionais mantêm-se, mas há determinadas situações relativas a pagamentos em falta e com as quais não pode compactuar", comentou Manuel Dias, reconhecendo ainda que a "SAD não está a cumprir com o que ficou estabelecido no protocolo".

Divórcio que sustenta não só a decisão de a direção ainda não ter nomeado um representante na SAD, como também foi o argumento que levou o clube a convocar uma reunião de acionistas.

"O Leixões tem 40% do capital social da SAD, mas nomear um administrador implica responsabilidades fiscais e esta direção não tem conhecimento nenhum sobre a situação financeira", referiu Manuel Dias, justificando-se: "Foi por esta falta de informação sobre as contas e o orçamento corrente, bem como com o intuito de clarificar outras questões relativas a encargos, que convocámos uma AG da SAD para o dia 17 de outubro."

Obras aprovadas

Para além da promessa de um sítio oficial na internet com a cara lavada no final do mês, a direção leixonense anunciou ainda que as obras de requalificação do Complexo Desportivo Óscar Marques foram aprovadas. A Câmara de Matosinhos deve começar a empreitada em breve.


Autor: Pedro Malacó