Desde campeões do Mundo Sub-20 (em Ríade), casos de Abel Silva e Jorge Couto, que também se sagraram campeões pelo Benfica e FC Porto ou de Andrés Madrid e Abílio Novais, campeões e vencedores de Taças de Portugal e Supertaças pelo FC Porto até João Pereira, que na época 1977/78 se sagrou pelo campão pelos dragões sob o comando do malogrado José Maria Pedroto, que quebrou um jejum de dezanove anos sem ser campeão nacional. Não podemos esquecer Marco Almeida, campeão pelo Sporting, ou Tonel, que venceu duas Taça de Portugal e duas Supertaças ao serviço do Sporting. Há ainda os que ganharam a Taça de Portugal, outros que conquistaram títulos da 2ª liga e outros há que tiveram o prazer de jogarem na 1ª Liga e que não vencerem nada. Hoje treinam de Norte a Sul do país em emblemas que militam nos distritais, abrançando o amadorismo quando um dia já foram profissionais. 

Num número tão elevado de (ex-jogadores) treinadores, é óbvio que, no passado, uns tenham sobressaído mais do que os restantes. Pelo número de épocas que jogaram e pelos títulos que conquistaram, Record escolheu os 12 que mais se notabilizaram, a quem pedimos que sintetizassem as suas carreiras como jogadores e que perspetivas têm para o futuro como treinadores.

Na primeira pessoa

Abel Silva (48 anos) treina o SL Cartaxo, da AF Lisboa. Jogou 12 épocas na 1ª Liga: 6 pelo Benfica, 1 pelo Penafiel, 1 pelo Marítimo, 1 pelo V. Setúbal, 1 pelo Felgueiras e 2 pelo Alverca. Foi campeão do Mundo Sub-20 em 1989, conquistou 2 títulos nacionais e 1 Taça de Portugal pelo Benfica e foi ainda campeão da 2ª Liga pelo Campomaiorense. Foi internacional pelas seleções sub-16,18, 20 e 21.

"Quando jogamos queremos sempre mais, mas nem sempre conseguimos aquilo que ambicionamos, gostava de ter sido chamado à Seleção Nacional, mas na altura em que estive no Benfica, ser suplente do Veloso, não era tarefa fácil. Por isso reconheço que apesar de ter realizado boas épocas, não fiz o suficiente para ir à Seleção. Mesmo assim, a carreira que realizei como jogador profissional enche–me de orgulho. Como treinador, sinceramente preocupa-me trabalhar o dia-a-dia sem pensar em grandes objetivos, até porque já tinha fechado a página de treinador, mas acedi ao convite de um grande amigo que é o investidor no clube e confesso que de todas as tarefas que desempenhei no futebol, aquela que mais fiquei a gostar foi a de treinador, mas isso não me obriga a que eu pense o futuro como treinador. Como não faço prognósticos a prazo, vamos esperar o que o futuro nos reserva".

Jorge Couto (47 anos) treina a equipa do Boavista B da AF Porto. Jogou 14 épocas na 1ª Liga: 7 épocas no FC Porto e 7 no Boavista. Foi campeão do Mundo de Sub-20 em 1989, conquistou 5 campeonatos pelo FC Porto, 1 campeonato da 1ª Liga pelo Boavista, 2 Taças de Portugal e 4 Supertaças pelo FC Porto, 1 Taça de Portugal, e 1 Supertaça pelo Boavista. Foi Internacional pela Seleção Naciona e pelas selecções sub-18, 20 e 21.

"Pela quantidade de épocas que joguei, pelas equipas que representei, pelos títulos que conquistei, e ter jogado em todas as seleções, é motivo mais do que suficiente para me sentir orgulhoso por tudo o que fiz como futebolista. Já na vertente de treinador, as coisas são muito diferentes porque traçar objetivos quando não dependemos de nós próprios, é arriscado e não faz sentido nenhum. Para além de reconhecer que não é fácil chegar ao topo devido à concorrência e não só, não estou preocupado porque não vivo obcecado com o degrau que vou atingir como treinador. Vou esperar e deixar que as coisas aconteçam com naturalidade".

Andrés Madrid (36 anos) treina o Rebordosa da AF Porto. Jogou 8 épocas na 1ª Liga, 6 temporadas e meia pelo Sp. Braga e 1 época e meia pelo FC Porto. Conquistou 1 Taça Intertoto pelo Sp. Braga, uma 1ª Liga e 1 Taça de Portugal pelo FC Porto.

"Sinto–me orgulhoso pelo que dei e conquistei no futebol português, mas reconheço que poderia ter tido uma carreira mais enriquecedora. As lesões obrigaram a terminar a carreira mais cedo que aquilo que desejava. Como treinador, não fujo à regra dos companheiros de profissão, de almejar treinar nos grandes palcos. Este é o meu segundo ano como treinado, e até agora as coisas têm–me corrido bem. Estou a aprender dia após dia, assim como o fiz quando era jogador. Se este ano o Rebordosa subir ao Campeonato de Portugal, darei mais um passo rumo aquilo que desejo, embora reconheça que o futebol de hoje está muito diferente daquele que era quando eu o praticava, mas acredito que chegarei ao topo da minha nova carreira de treinador a orientar um clube na Primeira Liga".

Abílio Novais (50 anos) treina o Canidelo da AF Porto. Jogou 14 épocas na 1ª Liga, 8 épocas pelo Salgueiros, 2 pelo FC Porto, 1 pelo Leixões, 1 pelo Belenenses, 1 pelo Campomaiorense e 1 pelo Aves. Conquistou uma 1ª Liga, 1 Taça de Portugal e 1 Supertaça, tudo pelo FC Porto.

"Apesar de me orgulhar da carreira que fiz como jogador, confesso que quando estive no FC Porto e o treinador era Carlos Alberto Silva, me precipitei em pedir ao Sr. Nuno Pinto da Costa para sair do clube. Se recuasse no tempo era a única coisa que não faria. Acho que fiz uma carreira bonita, e que muito me orgulha. Quanto à carreira de treinador, estou e sempre estive no mercado. Como isto é uma questão de oportunidade que ainda não surgiu, temos que esperar pelo dia de amanhã. Em 2002/03 assumi o comando técnico do Leixões e subi o clube à 2ª Liga e treinei o clube nesse escalão. Estive perto de chegar ao topo da pirâmide, mas não aconteceu. Agora como abri um estabelecimento em Canidelo, pediram-me para ajudar e estou a treinar o clube, mas estou crente. Apesar da concorrência acredito que a oportunidade de treinar na 1ª Liga há–de chegar. É uma questão de estar no lugar certo à hora certa".

Marco Almeida (40 anos) é adjunto no GD Carregado da AF Santarém. Jogou 6 épocas na 1ª Liga, 2 épocas pelo Sporting, 2 pelo Campomaiorense, e 2 pelo Alverca. Conquistou 1 título da 1ª Liga pelo Sporting em 99/00 e foi campeão nacional de Juniores pelo Sporting em 95/96.

"Consegui aquilo que estava ao meu alcance. Orgulho–me de tudo o que fiz, inclusivé nas passagens por Inglaterra e Chipre e ter 55 Internacionalizações desde os Sub-15 até à Selecção B, mas o meu maior orgulho é ter sido um dos jogadores do Sporting que levou milhares de sportinguistas a fazerem a festa no Marquês de Pombal. Era um sonho de criança que consegui alcançar. Como treinador, não escondo que o meu desejo é chegar a treinar na 1ª Liga, mas sei que as coisas não são fáceis. Existe muita procura e os resultados é que ditam as preferências, mas estou crente que com trabalho e abnegação que conseguirei alcançar aquilo que mais desejo para o futuro".

João Pereira (60 anos) treina o Moita Boi da AF de Leiria. Jogou 2 época no FC Porto, 3 épocas no Sp. Covilhã e 2 no Penafiel. Na época em que jogou no FC Porto (77/78) apenas realizou 1 jogo no dia 8 de Janeiro de 1978, no reduto do Aves, partida que os portistas venceram por 3-0,mas foi o suficiente para se sagrar campeão da 1ª divisão Nacional, sob o comando de José Maria Pedroto. O malogrado técnico quebrou um jejum dos dragões de 19 anos sem ser campeão nacional, com os mesmos 51 pontos do Benfica que ficou na 2ª posição.

"Fiz uma carreira normalíssima, mas que ficou além daquilo que desejava, que era manter–me por mais tempo na 1ª divisão Nacional. Guardo excelentes recordações do passado, e muito principalmente do malogrado míster José Maria Pedroto que já há 40 anos me dizia o que o Filipe disse quando partiu para férias: um defesa central tem de mostrar aos avançados a sua presença. Fiz o suficiente para não me envergonhar do meu passado. Quanto à carreira de treinador, a partir de 2011 alterei a minha vida profissional, comecei a trabalhar numa fábrica de resíduos, e agora só penso em salvar o Moita Boi da despromoção. Os sonhos e as ambições apenas passam pelo futebol distrital".

Tó Luís (50 anos) é adjunto de Jorge Couto na equipa B do Boavista da AF Porto. Jogou 11 épocas na 1ª Liga, 3 pela Académica, 4 pelo Boavista, 3 pelo Rio Ave, e 1 pelo Aves. Conquistou 1 Taça de Portugal pelo Boavista na época 96/97.

"Acho que poderia ter ido mais longe na minha carreira, mas como nunca quis empresário, hoje reconheço que isso me foi prejudicial. Apesar disso, sinto–me orgulhoso. Representei o Boavista que na altura era o quarto maior clube do nosso país, isto sem esquecer os restantes clubes por onde passei onde deixei bons amigos. Quanto à carreira de treinador, não faço disso uma prioridade porque tenho a minha vida profissional, mas se fosse convidado para treinar os guarda–redes de um clube da 1ª Liga, aceitava de bom grado, porque o cheiro do balneário e da relva ainda moram dentro de mim. Neste momento estou no futebol não para ganhar dinheiro, mas para continuar a fazer uma das coisas que mais gosto. Vamos aguardar pelo futuro e depois se verá".

Filipe Anunciação (38 anos) treina a equipa B do Paços Ferreira da AF Porto. Jogou 13 épocas na 1ª Liga, 9 pelo Paços Ferreira, 2 pelo Boavista, 1 pelo Moreirense, e 1 pelo  Aves. Conquistou uma 2ª Liga pelo Paços Ferreira na época 99/00.

"Como jogador dei o máximo de mim, estou de consciência tranquila e orgulhoso de tudo o que fiz no passado. Aliás, se voltasse atrás, não alteraria nada daquilo que fiz. Quanto à carreira de treinador, mentiria se não dissesse que ambiciono chegar ao topo, mas tenho que ter os pés bem assentes no chão, preparar–me o melhor possível, até porque não tenho pressa em lá chegar. Como não gosto de pensar em coisas a longo prazo, vou procurar subir degrau a degrau, porque ir com muita pressa ao pote, pode criar dissabores. Está na hora de aprender para mais tarde ensinar".

Constantino (50 anos) é adjunto de Abílio Novais no Canidelo da AF Porto. Jogou 7 épocas na 1ª Liga, 2 épocas Salgueiros, 3 pelo Leça, e 2 pelo Campomaiorense. Conquistou uma 2ª Liga pela equipa do Leça na época 94/95.

"Se tivesse tido o Jorge Mendes como empresário, tenho a certeza absoluta que a minha carreira como jogador tinha sido muito mais enriquecedora que aquilo que foi. Fui para o Levante de Espanha onde tudo me correu bem, mas foi no Leça onde fui foi o terceiro melhor marcador do campeonato e onde as coisas me correram melhor. Não consegui o que outros colegas conseguiram, mas tenho fortes razões para me sentir orgulhoso da minha carreira de jogador. Já como treinador, a única coisa que posso dizer, é que estando com o Abílio Novais, estou sempre bem. O sucesso do Abílio será o meu sucesso e pela competência e grandeza de homem que é o Abílio, acredito que mais cedo ou mais tarde, vamos ter a oportunidade de treinar um clube da 1ª Liga. Vamos dar tempo ao tempo que a oportunidade há–de chegar".

Andrade (44 anos) é treinador do Atl. Malveira da AF Lisboa. Jogou 12 épocas na 1ª Liga, 2 épocas pelo Estoril, 1 pelo E. Amadora, 2 pelo Belenenses, 4 pelo Benfica, 1 pelo Sp. Braga, e 2 pela Académica. No currículo conta com o Torneio do Guadiana pelo Benfica na época 02/03.

"Tive uma carreira como jogador, da qual muito me orgulho. Por onde passei deixei sempre a imagem de guerreiro. Joguei em todas as Seleções até aos Sub-20 e Olímpicos. Joguei em todas as competições europeias e num Estádio com 100 mil pessoas. Não ter representado a Seleção Nacional e por aquilo que dei ao futebol não ter conquistado um título, são mágoas que guardo mas que não mancham o meu passado. É óbvio que como treinador espero atingir o mais alto degrau que é a 1ª Liga. Comecei na 2ª distrital, passei para a 1ª divisão e hoje estou na Divisão de Honra, tenho subido uma escada de cada vez para que quando surgir a oportunidade estar devidamente preparado. Como jogador não desperdicei a oportunidade que tive e podem crer que como treinador, quando a ocasião surgir, irei agarrá-la com denodo e determinação porque desejo ser como treinador, aquilo que fui como jogador".

Tony (36 anos) treina o Vilar de Perdizes da AF Vila Real. Jogou 6 épocas na 1ª Liga, 1  pelo E. Amadora, 1 pelo V. Guimarães e 3 épocas pelo Paços Ferreira. Conquistou 2 Ligas, 3 Taças e 2 Supertaças da Roménia ao serviço do CFR Cluj.

"Orgulho–me da carreira que fiz como jogador. Vim do nada e consegui dar à minha família aquilo que mais desejava. Cheguei a ser considerado o melhor defesa-direito em Portugal, mas isso de nada me valeu. Se eu fosse estrangeiro talvez tivesse tido mais sorte. Na Roménia fui tão respeitado, quer como jogador, quer como homem, que chegaram ao ponto de querem que eu me neutralizasse romeno. Contudo, não esqueço o 3º lugar que o Paços Ferreira alcançou. Para mim valeu mais que todos os títulos que conquistei na Roménia. Como treinador ambiciono chegar o mais longe possível. Comecei como adjunto do Ricardo Chéu a quem agradeço por me ter ajudado. Este ano comecei a época no Bragança, mas as coisas não correram bem. Cheguei a dizer que disponibilizava o meu ordenado para ter alguns reforços, mas isso não aconteceu e por isso decidi sair. Depois recebi um convite de um clube do Campeonato de Portugal, mas preferi vir para o Vilar de Perdizes porque me revejo nos projetos e na seriedade das pessoas. Vamos dar um passo de cada vez, para que a ambição que tenho em treinar na 1ª Liga se concretize".

Tonel (37 anos) treina o U. Lamas da AF Aveiro. Jogou 10 épocas na 1ª Liga: 2 pela Académica, 1 pelo Marítimo, 5 pelo Sporting, 1 pelo Beira Mar e 1 pelo Belenenses. Conquistou 1 Campeonato da Europa Sub-18, 1 Campeonato Nacional de Juniores pelo FC Porto, 2 Taças de Portugal e 2 Supertaças pelo Sporting. Ao serviço do Dínamo de Zagreb da Croácia ganhou 3 campeonatos, 2 Taças de Portugal e 1 Supertaça.

"Como jogador, e quando estava no FC Porto, para além de ainda não estar preparado, a concorrência era muitíssimo forte. Aloísio, Jorge Costa, e de seguida Ricardo Carvalho e Jorge Andrade estavam muito acima do meu valor. Apesar de não ter conquistado um título sinto–me orgulhoso da carreira que fiz. Como treinador tenho a ambição de chegar o mais longe possível, mas não estou preocupado até onde posso chegar. Para além de existir coisas que não podemos controlar, a concorrência nesta altura é muita e com muita qualidade. Vivemos das oportunidades que nos dão. Se elas surgirem, irei aproveitá–las, mas uma coisa é certa: aconteça o que acontecer, irei sempre fiel aos meus princípios. Para já o importante é começar com o pé direito ao serviço do U. Lamas".

Os restantes técnicos com marca na 1ª Liga

Paulo Xabregas (47 anos) 
Clube: 11 Esperanças, AF Algarve
Percurso: 2 épocas no Farense

Luís Miguel (45 anos)
Clube: L. Lourosa, AF Aveiro
Percurso: 1 época no Gil Vicente 

Cílio Sousa (41 anos) 
Clube: Adjunto no Beira–Mar, AF Aveiro
Percurso: 2 épocas no Beira–Mar 

Pedro Costa (36 anos)
Clube:  Alvarenga, AF Aveiro
Percurso: 1 época no Boavista, 5 no Sp. Braga e 4 na Académica 

Zé Luís (42 anos)
Clube: Cabeça Gorda, AF Beja
Percurso: 2 épocas no Salgueiros e 1 no Campomaiorense 

Nélson Silva (41 anos)
Clube: Santa Eulália, AF Braga
Percurso: 1 época no Paços de Ferreira

Renato Silva,(34 anos)
Clube: GD Adaúfe, AF Braga
Percurso: 1 época no Estrela da Amadora

Duarte Machado (34 anos)
Clube: Lusitano de Évora, AF Évora
Percurso: 1 época no Belenenses

Mário Artur (48 anos)
Clube: adjunto no Guiense, AF Leiria
Percurso: 4 épocas na U. Leiria 

Nuno Carvalho (44 anos)
Clube: no Santa Iria, AF Lisboa
Percurso: 2 épocas no Boavista

Luís Matias (48 anos)
Clube: Fut. Benfica, AF Lisboa
Percurso: 3 épocas no Gil Vicente 

Jorge Matos (41 anos)
Clube: adjunto no Atlético, AF Lisboa
Percurso: 1 época no V. Setúbal

Mazo (47 anos)
Clube: CP Pego, AF Santarém
Percurso: 2 épocas no E. Amadora

Fusco (45 anos)
Clube: Seixal Club 1925, AF Setúbal
Percurso: 6 épocas no Beira Mar

Tiano (53 anos)
Clube: adjunto no Valenciano, AF Viana do Castelo
Percurso: 2 épocas no Sp. Braga e 2 no Boavista

Jorge Febras (44 anos)
Clube: Sampedrense, AF Viseu
Percurso: 2 épocas na Académica 

Milic Jovanovic (51 anos)
Clube: adjunto no Leça, AF Porto
Percurso: 2 épocas no Leça

Jorge Pinto (40 anos)
Clube: Infesta, AF Porto
Percurso: 3 épocas no Salgueiros 

Zé Gomes (41 anos)
Clube: adjunto no Rio Ave B, AF Porto
Percurso: 6 no Rio Ave e 2 no Marítimo

Edmundo Duarte (66 anos)
Clube: Candal, AF Porto
Percurso: 1 no V. Guimarães e 1 no Penafiel 

Lito (54 anos)
Clube: adjunto no Varzim B, AF Porto
Percurso: 6 no Varzim e 2 no Gil Vicente 

Madureira (41 anos)
Clube: adjunto no D. Sandinenses, AF Porto
Percurso: 1 no FC Porto, 1 Gil Vicente e 1 na Académica.

Tonanha (43 anos)
Clube: Barrosas, AF Porto
Percurso: 3 épocas no Belenenses e 1 no Chaves.

Mário Heitor (39 anos)
Clube: Sobrado, AF Porto
Percurso: 1 no Beira–Mar e 1 no V. Setúbal.

Pedrinha (39 anos)
Clube: adjunto no P. Ferreira B, AF Porto
Percurso: 8 épocas no Paços Ferreira.

Sérgio Gameiro (42 anos)
Clube: Felgueiras 1932 B, AF Porto
Percurso: 1 no Santa Clara, 2 no Gil Vicente e 1 U. Leiria.

Vitinha (51 anos)
Clube: Vandoma, AF Porto
Percurso: 1 época no E. Amadora

Ivo Damas (40 anos)
Clube: S. Vicente Pinheiro, AF Porto
Percurso: 1 no Sporting e 1 no Alverca


Autor: Fernando Gonçalves dos Santos