Ineficácia é a palavra que melhor traduz o jogo entre Benfica e CIF, que acabou com vitória das águias, por 1-0, permitindo assim destacar-se na liderança da Série E da prova. O único momento em que os encarnados conseguiram finalizar da melhor maneira foi logo aos 5 minutos quando, na sequência de um cruzamento de João Tomé, Juan Gomez atirou de cabeça para o fundo das redes.

A partir daí, a história do jogo pode ser resumida a um verdadeiro festival de lances falhados. Aos remates ao lado e ao poste juntou-se uma excelente exibição do guardião Francisco Melo que, quando foi chamado a intervir mostrou muita qualidade.

Perante o caudal ofensivo da equipa comandada por Luís Nascimento, o CIF limitou-se a defender e, quando a bola estava no sector defensivo das águias, tentou provocar o erro, mas não conseguiu criar verdadeiro perigo.

A lista do desperdício encarnado é extensa. Só na primeira parte, João Tomé, Henrique Abrantes e Tiago Morais (ambos por duas vezes), e Juan Gomez (que falhou por pouco o bis) surgiram em clara posição de perigo, falhando, por isto ou aquilo, o que parecia mais fácil: o golo.

O segundo tempo trouxe mais do mesmo e nem mesmo as substituições inverteram a tendência. As oportunidades continuaram a aparecer e, perante isto, o destaque vai para Francisco Melo que efetuou duas intervenções de grande nível: primeiro a um tiro de longe de Gustavo Mendonça e depois a um remate de Guilherme Pio dentro da área.

Autor: Bruno Dias

Temas:

Benfica