Lito Vidigal começa hoje a trabalhar no Aves, rendendo Ricardo Soares e tendo um objetivo que vai além da permanência na 1.ª Liga. Nos contactos com a SAD, o próprio treinador manifestou a convicção de que ainda há tempo para colocar a equipa numa posição, não apenas tranquila, mas consolidada na primeira metade da tabela. Os avenses estão a apenas seis pontos do Sp. Braga, no 6º lugar, pelo que a aposta em elevar a fasquia da ambição vai fazer-se sentir, ficando a confiança entre as partes expressa no contrato assinado que se estende até 2019.

A estreia de Lito Vidigal, de 48 anos, na 1ª Liga vai ser na receção ao Benfica, mas antes ainda há que garantir a continuidade na Taça de Portugal, frente ao Vila Real. Numa carreira que já começa a ser longa, o técnico só enfrentou uma situação comparável em 2013/14, quando tirou o Belenenses dos lugares da despromoção em apenas sete jornadas. Agora, chega mais cedo à Vila das Aves, com apenas oito rondas disputadas, pelo que a mudança de métodos durante a paragem pode ser interiorizada.

Adjunto histórico

O braço direito de Lito vai continuar a ser Neca. Um adjunto especial pela ligação histórica incomum que possui com o Aves. Uma relação iniciada nos anos 80, na primeira presença do clube na então 1ª Divisão. Como líder no banco, Manuel Gomes, de seu nome, passou em cinco ocasiões pelo Aves. Agora, aos 66 anos, inicia um 6º período de vínculo a um emblema com o qual há de ser sempre associado, exercendo funções diferentes mas garantindo a ‘química’ para suportar o projeto do seu chefe de equipa, com o qual trabalhou no Arouca e Maccabi Telavive.


Autor: Bruno Freitas