Sempre de sorriso na cara, Diogo Viana não deixou pergunta por responder, fotografia por tirar, ou papel sem autógrafo. Na visita à Casa Pia de Pina Manique, o extremo, acompanhado por Tiago Caeiro, deixou ainda conselhos aos alunos que sonham ser profissionais de futebol.

"Para quem quer ser jogador profissional é importante acreditarem em vocês. Quando somos miúdos desistimos porque há um colega que joga e nós não. É complicado. Mas o importante é não desistir, porque esses às vezes acabam por mais tarde não jogar e quem acreditar mais e trabalhar é quem consegue. Ser jogador não é um mar de rosas. Por exemplo eu, com 10 anos tive de abdicar dos meus amigos e da minha família. Deixei a minha mãe e o meu pai a chorar. Eu próprio chorei. Mas tinha de seguir a minha paixão. Sacrifícios que são necessários", frisou.

Este domingo o Belenenses defronta o Aves, adversário direto na luta pela permanência. Jogo de extrema importância para os azuis do Restelo.

"É óbvio que gostamos de ganhar sempre. Da maneira como jogamos sabemos que mais tarde ou mais cedo vamos chegar ao caminho que procuramos. Criamos as oportunidades de chegar à baliza, mas não temos conseguido finalizar. Isso são pequenos pormenores que acredito que vamos ultrapassar e voltarmos a ser o Belenenses que já fomos. Não estamos preocupados com isso. Estamos com o presidente da SAD. Temos um grupo muito forte, dentro do balneário somos uma família. Independentemente dos resultados se olharmos para as nossas exibições vemos o futebol que praticamos. O que procuramos são as vitórias e acredito que vamos voltar a vencer em breve", garantiu.

Depois de Domingos Paciência, Silas assumiu o comando técnico da equipa. Elogios não faltam para descrever o jovem treinador.

"Estou a gostar bastante, tal como a equipa. É um treinador com uma grande personalidade e que quer meter a equipa a jogar bom futebol. Não queremos ser das equipas que metem o autocarro à frente da baliza. Isso ficou visível no jogo com o Benfica, demonstrámos um bom futebol. Também no Marítimo, fora, num campo muito difícil. É isso que o mister Silas procura de nós", assegurou.

Autor: André Ferreira