Foi uma noite para esquecer de toda a equipa, aquela de 23 de março de 2012 que acabou com um nulo no terreno do Olhanense e que levou Luís Filipe Vieira a manifestar desagrado junto do grupo. Emerson, lateral-esquerdo titular nesse encontro da Liga, revela-nos o que o presidente disse aos jogadores após um encontro marcado pela expulsão de Pablo Aimar.

"Foi uma exibição fraca, não conseguimos vencer e nem criámos muitas oportunidades de golo. Foi isso que o presidente nos foi dizer. Estava chateado connosco e exigiu mais de nós. Disse-nos que tínhamos valor para fazermos muito mais", revelou o brasileiro a Record, admitindo que o líder tinha razões para o fazer: "Devíamos ter conseguido melhor, mas há jogos assim. O Aimar foi expulso com um vermelho direto e isso acabou por tornar as coisas muito mais difíceis. Tentámos, mas não conseguimos."

As exigências de Jesus

Nessa época, Jorge Jesus conduziu a equipa ao segundo lugar, atrás do FC Porto, mas, apesar de ter sido orientado pelo agora treinador do Sporting apenas durante essa temporada, Emerson ficou com uma opinião bem vincada sobre um "grande treinador".

"Vivia o futebol de uma forma intensa e exigia sempre muito de nós, o que era muito bom. Queria sempre mais de nós, o que nos ajudava a evoluir bastante. Eu senti muito isso. Durante a semana corrigia ao pormenor as nossas falhas durante cada partida", contou o jogador, de 31 anos, que se encontra agora sem clube e a treinar-se com um preparador físico.

Gritos de Luisão geraram... equívocos

Aimar entrou na reta final da primeira parte para render Nolito e acabou por ser expulso aos 62’, o que permitiu ao Olhanense criar mais problemas à defesa benfiquista. Luisão era o comandante dessa defesa. O capitão dava conselhos e corrigia posições, mas houve quem pensasse que estaria a discutir com os colegas, nomeadamente... Emerson.

"Chamou-me à atenção algumas vezes e até se pensou que estava a dar-me um puxão de orelhas. Os jornalistas pensaram isso, mas não, eram apenas conselhos. No final falámos sobre isso e estava tudo bem", recordou o brasileiro, que lamenta não ter mantido o contacto com os antigos colegas: "Não tenho falado com ninguém, mas acompanho o clube. Em Portugal, com quem falo mais é com o Bruno César, que agora até está a jogar no Sporting."

Autor: Valter Marques