Raúl Jiménez não está lesionado mas também não está convocado. Enquanto aguarda para ver o que lhe reserva o mercado, o internacional mexicano tenta alcançar a melhor forma física, depois de uma paragem por lesão. Isso levou a que Rui Vitória, de forma cautelosa, o tenha deixado de fora da convocatória para o encontro com o V. Guimarães.

Os problemas do camisola 9 começaram na partida com o P. Ferreira, relativa à Taça CTT. O avançado, recorde-se, queixou-se de dores na virilha esquerda e acabou por ser substituído na segunda parte do jogo. Os exames realizados posteriormente acabaram por não revelar qualquer lesão mas, por precaução, nos últimos dias o futebolista trabalhou condicionado.

Apesar da paragem ter sido curta, o facto de não se ter treinado com normalidade colocou-o em desvantagem em relação aos seus companheiros de equipa e, tendo em conta as especificidades do desafio com o V. Guimarães, Rui Vitória preferiu chamar Mitroglou, Gonçalo Guedes e Jonas (ver p. 7).

Amanhã, o atacante deverá voltar a treinar-se sem qualquer condicionalismo e, desta forma, poderá voltar a ser opção para o próximo encontro que será novamente em Guimarães, na terça-feira, a contar para a Taça CTT. Convém sublinhar que antes da ligeira mazela o futebolista estava a ganhar o seu espaço tendo terminado o mês de dezembro com quatro golos apontados.

Mercado não influencia

Um dos jogadores do Benfica que está a motivar maior cobiça é justamente Jiménez, mas esta situação não irá influenciar a sua utilização por parte de Rui Vitória.

O mexicano tem mercado na China e, na próxima semana, este processo até poderá conhecer avanços caso surja uma oferta oficial na Luz, como Record noticiou. A SAD encarnada acredita que pode receber uma proposta a rondar os 50 milhões e, neste caso, Luís Filipe Vieira aceitará vender de imediato o passe do atleta.

Sublinhe-se que também em Inglaterra o Liverpool mostrou interesse pelo atacante que custou 22 milhões de euros às águias, naquela que foi a maior compra na história do clube.

Autores: Filipe Pedras e João Soares Ribeiro