O Benfica apresentou esta sexta-feira os resultados da emissão de mais um empréstimo obrigacionista (2017-2020), com o qual conseguiu atingir o valor pretendido: 60 milhões de euros. No entanto, a oferta acabou por superar a procura em 1,53 vezes, o que significa que os investidores estavam preparados para dar mais de 92 milhões de euros pelos títulos de dívida encarnada.

Esta procura acima do esperado, registada aliás logo nos primeiros dias, levou mesmo a SAD a aumentar o valor do empréstimo dos 50 para os 60 milhões. A taxa de juro mais baixa de sempre em emissões do género - 4 por cento - gerou enorme expectativa entre os investidores, como se comprova pelos resultados anunciados hoje pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

Segundo o documento, mais de metade dos investidores (2.467, mais concretamente) aplicou entre 100 e 1000 euros nestes títulos, num total de 4.833 investidores.

Desta vez foi Rui Costa quem tocou o sino na Bolsa

Desta vez foi Rui Costa quem tocou o sino na Bolsa


Autores: Pedro Gonçalo Pinto e João Socorro Viegas