Rui Vitória referiu-se este sábado ao lance de Fábio Coentrão na área do Benfica durante o dérbi, no qual os encarnados pediram penálti, dizendo que se a bola tivesse batido na cara do defesa, este não ficaria em condições de disputar o lance logo a seguir.

"Há árbitros que até pelo conhecimento que têm percebem se o lance é ou não falta. Vocês imaginam que aquela bola na cara Fábio Coentrão, se fosse efetivamente na cara não ficava o símbolo da Nike marcado ou o jogador não ficava dois minutos no chão? Só pela intuição, um árbitro percebia que o jogador tinha de ficar dois minutos no chão. A um metro, com a bola àquela velocidade, não estava a disputar o lance a seguir. Um árbitro se tivesse de decidir por si mesmo via logo que era penálti, porque ninguém fica em pé num lance daqueles. Pela intuição a gente percebe ‘houve ali uma mão’. Quem quiser ser pouco inteligente olhe isto só pelo Benfica", referiu o técnico em conferência de imprensa.

"Eu vejo os campeonatos de Itália e logo no princípio foram 3 minutos para decidir, pelo menos em consciência. Viu e decidiu. Não tenho nada contra o Tiago Martins, o Hugo Miguel, sejam felizes, arbitrem como quiserem. Agora, não sou bebé, não sou criança. Falo as coisas com a boca aberta. Quem quiser inferir daqui outa coisa qualquer, isso não é preocupação minha. É o que acho que o futebol protuguês precisa. Nós estamos no terreno. Os próprios árbitros sentem esta dificuldade. O colega lá em cima tem de ficar calado porque o protocolo diz que só com 100 por cento", explicou Vitória.

Rui Vitória: «O símbolo da Nike ficava marcado na cara do Coentrão»

Rui Vitória: «O símbolo da Nike ficava marcado na cara do Coentrão»


Autor: Luís Miroto Simões