Ao empatar diante do Sp. Braga (1-1) no arranque da Taça CTT, o Benfica somou o terceiro embate consecutivo sem alcançar o sabor da vitória. Num jogo no qual Rui Vitória teve oportunidade para observar alguns jogadores menos utilizados - casos de Samaris ou Krovinovic -, o técnico igualou assim aquela que é a sua pior ‘seca’ desde que assumiu o comando das águias, à partida para 2015/16.

O empate com os bracarenses e as derrotas com CSKA Moscovo e Boavista equiparam-se - na medida em que nesses jogos o objetivo da vitória escapou - à série de três jogos na segunda metade da última temporada. Na altura, entre março e abril deste ano, a equipa de Rui Vitória registou um trio de empates - Paços de Ferreira e FC Porto, no campeonato, e Estoril, na 2ª mão das meias-finais da Taça de Portugal. A este propósito, refira-se que neste último duelo a igualdade acabou por satisfazer as pretensões encarnadas, visto que o resultado seria suficiente para a passagem à final da competição, que seria precisamente ganha pelo Benfica.

Deslize com uma década

Na Taça CTT, a Luz quase sempre foi uma espécie de ‘fortaleza’, que sofreu um ‘abalo’. Com efeito, 20 vitórias depois, o Benfica voltou a não vencer em casa para esta prova. A última vez havia sido a 20 de outubro de 2007, com Camacho ao leme, na receção ao V. Setúbal (1-1), na 1.ª mão da 4.ª eliminatória.


Autor: Ricardo Granada