A lesão grave de Edu Machado, que vai parar durante seis a sete meses, foi um dos temas abordados na conferência de imprensa do treinador Jorge Simão. "É a notícia da semana, pela negativa", disse logo o técnico do Boavista, de 41 anos, enviando depois uma mensagem para o lateral-direito.

"Deixo publicamente uma palavra de força e apoio ao Edu. É uma fase muito difícil na carreira dele. Acho que compete ao grupo de trabalho e ao Boavista fazer com que ele se sinta mais apoiado e acarinhado num momento destes. E nós fazemo-lo. Era alguém que estava a ser importante na estrutura do grupo", referiu Jorge Simão, admitindo de seguida o desejo do balneário em dedicar a Edu Machado um eventual triunfo na partida de amanhã, com o Feirense: "Sim, todos gostaríamos de o poder fazer."

O Boavista vem de dois bons resultados já sob o comando de Jorge Simão: uma vitória sobre o Benfica e um empate na visita ao V. Setúbal. "Noto entusiasmo nos jogadores, como é óbvio, porque somámos quatro pontos em dois jogos. Mas nesse capítulo confesso que sofro um pouco de autismo, e desculpem esta referência. Fecho-me no meu dia a dia, na minha rotina, no trabalho. Não me abro a essa possibilidade de receber os ecos do entusiasmo exterior, mas cá dentro estamos motivados e entusiasmados", disse o treinador.

Já o Feirense perdeu os últimos três encontros, mas o técnico axadrezado não acredita em facilidades. "É uma equipa que tem jogadores rápidos e acutilantes na frente, é combativa e competitiva. Amanhã poderá ser ainda mais por querer dar a volta à situação", analisou Jorge Simão, que comentou ainda a derrota caseira do Feirense com o Belenenses na jornada anterior, por 4-1: "Em termos de volume do resultado, foi a maior surpresa da jornada e se calhar de todo o campeonato. Mas isto não é sinónimo de que o Feirense esteja de rastos. Longe disso."

Edu Machado é o único jogador entregue ao departamento médico, tendo em conta que Henrique e Tahar já recuperaram das respetivas lesões.

Autor: André Gonçalves