João Pinheiro, que deixou a Comissão Arbitral em final de março, não vê qualquer "conflito de interesses" entre filiação clubística e exercício de funções em "órgãos ligados ao futebol". O advogado esclarece porque deixou aquela comissão, para a qual fora indicado pelo Sindicato dos Jogadores.

"Coloquei o lugar à disposição porque não senti apoio ou interesse da Liga ou do Sindicato dos Jogadores em defender estes pressupostos em torno da problemática da minha designação", refere, a Record.

Sócio do Benfica desde 1979, Pinheiro viu serem divulgadas fotos suas no Estádio da Luz. Também ganharam mediatismo comentários em que visava Bruno de Carvalho, presidente do Sporting. Mais de dois meses depois de ter colocado o lugar à disposição de Proença, pedido que foi aceite, deixa claro que nunca fez "comentários sobre clubes em funções".

"Nunca omiti, nem omitirei a minha filiação clubística. Uma pessoa com filiação clubística pode exercer funções em órgãos ligados ao futebol, desde que respeite o enquadramento institucional da função."