O treinador do Estoril projetou esta sexta-feira o embate de sábado frente ao Chaves, da sétima jornada da Liga NOS (16 horas), de uma forma pragmática, dizendo que o "clube tem de trabalhar muito e falar pouco".

Pedro Emanuel lembra que, apesar de estar atrás dos canarinhos na tabela, o clube flaviense surge "motivado por um bom resultado", sendo que, na sua opinião, "tem menos pontos do que a qualidade já demonstrada neste campeonato".

O técnico estorilista define o Chaves como uma equipa aguerrida, combativa no meio-campo e "com alas muito rápidos que podem provocar desequilíbrios". "E tem uma ideia de jogo muito definida que não se altera muito, independentemente de atuar em casa ou fora", prosseguiu.

O Estoril, atual 12.º classificado, com seis pontos, vem de um ciclo de três derrotas consecutivas, facto que não é enfatizado por Pedro Emanuel: "São ciclos porque todas as equipas passam e não querem passar. É lógico que isso afeta a confiança dos jogadores".

O antigo defesa internacional português está, sobretudo, preocupado com o rendimento da sua equipa, nomeadamente no setor mais recuado: "Quando temos a equipa da Liga com mais golos sofridos isso gera apreensão".

Mas, Pedro Emanuel evocou logo um aspeto positivo na produção do conjunto estorilista, frisando que "convém não esquecer" que a sua equipa é uma das que têm "o melhor ataque".

O treinador canarinho só vai divulgar o lote de convocados no sábado, pouco tempo antes de se iniciar o duelo com o Chaves, mas já há duas certezas quanto a impedimentos. A recuperação do lesionado lateral Mano está fora de hipótese e o avançado Allano não vai jogar porque cumpre um jogo de castigo.

Autor: Lusa