O FC Porto negou qualquer acordo e pagamento ao Estoril no sentido de levar os canarinhos a perder o recente encontro disputado com os dragões, mais concretamente a segunda parte. Num comunicado no seu site, o clube portista fala em "pseudonotícia" e garante que comprovará a sua argumentação "documentalmente".

O FC Porto estranha ainda como é que uma denúncia anónima na Procuradoria-Geral da República tenha chegado à imprensa, falando numa "tentativa frustrada de desestabilizar a equipa fora de campo" na véspera do jogo com o Sporting.

Leia o comunicado do FC Porto na íntegra:

O FC Porto nega e repudia a pseudonotícia do jornal A Bola sobre uma alegada compra do jogo Estoril-FC Porto: os factos, como sempre no caso de matérias relacionadas com o FC Porto, serão comprovados documentalmente.

É, por isso, totalmente falso que a segunda parte do nosso jogo contra o Estoril tenha sido objeto de qualquer negócio.

O FC Porto solidariza-se com a tomada de posição do Estoril, que também já repudiou esta trama noticiosa, que pretendeu atingir o bom nome dos dirigentes de ambos os clubes e, acima de tudo, desestabilizar os jogadores de ambas as equipas, que têm pela frente desafios importantes para os seus objetivos.

A publicação desta pseudonotícia levanta questões de ética essenciais. A primeira é que foi publicada sem que o FC Porto fosse contactado. A segunda é que não se percebe de que modo uma denúncia anónima faz o seu percurso entre a Procuradoria-Geral da República e o jornal A Bola.

O único objetivo para o trânsito desta pseudonotícia só pode ser uma tentativa frustrada de desestabilizar a nossa equipa fora de campo, na véspera de um importante jogo.

A resposta será dada em campo, com o apoio massivo do Mar Azul, que tem acompanhado a equipa desde o início da época.