O diretor de comunicação do FC Porto, Francisco J. Marques, acusou o Benfica de "monitorizar os sms" de Fernando Gomes, atual presidente da Federação Portuguesa de Futebol, pelo menos em 2014. O dirigente portista citou alegados e-mails enviados nesse ano por Carlos Deus Pereira, então presidente da AG da Liga, a Pedro Guerra, onde era entregue ao atual diretor de conteúdos da BTV o conteúdo de centenas de sms's de Fernando Gomes, atual presidente da FPF e à época máximo responsável da Liga de Clubes.

"Carlos Deus Pereira, era presidente da AG da Liga do consulado do Mário Figueiredo. Ex-jogador do Benfica, advogado em Faro, presença assídua no camarote da Luz. Não só foi isento como não foi imparcial. O que ele fez? Vou ler o mail enviado para o Pedro Guerra. 'Os ficheiros são de sms do Fernando Gomes. Chamo à atenção das mensagens enviadas ao Tiago Craveiro, em que declara eterno amor ao azul e branco'. Eu tenho as sms, centenas, enviadas pelo senhor Carlos Deus Pereira para o Pedro Guerra. Ele acha que uma alegada violação de correspondência é diferente em 2017 relativamente a 2014. O Benfica monitoriza mensagens do dr. Fernando Gomes em 2014", acusou Francisco J. Marques, num programa do Porto Canal.

Ainda nesse ponto, o dirigente dos dragões sublinhou que Deus Pereira mantinha contacto com as águias sobre mais temas:"Isto é uma vergonha. Este é o comportamento do Benfica. Não revelo as sms's, pois são pessoais. Há muitas de índole profissional e muitas de índole pessoal. Isto é o Benfica que faz, através de quem? Do Pedro Guerra e do Carlos Deus Pereira. Há muitos e-mails do Carlos Deus Pereira para o Pedro Guerra a dizer, por exemplo, quando os clubes queriam retirar Mário Figueiredo, que o avisava assim que tivesse uma decisão sobre os requerimentos. É uma vergonha. Monitorizar o presidente da Liga, da FPF, mas o que é isto? O Benfica é um competidor falso. E depois andam ofendidinhos por lhe descobrirmos a careca."

Recorde-se que a questão dos SMS foi notícia na altura em que Fernando Gomes saiu da Liga (renunciou ao cargo em dezembro 2011). Os telemóveis de Fernando Gomes e Tiago Craveiro ficaram na Liga e terá havido utilização abusiva dos mesmos o que à época motivou inclusivamente uma queixa do agora presidente da FPF à polícia.
 
 
 
 

Autores: André Monteiro e João Socorro Viegas