O treinador Vítor Pereira deu uma palestra no I Congresso Internacional de Periodização Tática que está a decorrer na Universidade do Porto, mas esquivou-se a falar sobre Sérgio Conceição ou Nuno Espírito Santo, apesar de ter aproveitado a ocasião para desejar felicidades ao novo responsável portista.

Argumentos, contudo, que não impediram o técnico de revelar pormenores deliciosos sobre o célebre ‘momento Kelvin’ no triunfo frente ao Benfica, que permitiu aos dragões conquistarem o último título.

"Ainda hoje não consigo explicar porque é que meti o Liedson e o Kelvin naquele jogo. Foi intuição e para mim foi Deus quem me meteu aquela ideia na cabeça, uma vez que um era um irresponsável tático tremendo e o outro, apesar de ser um rato de área, já não estava nas melhores condições físicas", confidenciou Vítor Pereira.


Autor: Pedro Malacó