Carlos Pereira não se conforma com a data da final da Taça CTT. "Estou desiludido. Como é possível a Liga ter este tipo de atitudes? Foi o seu presidente que aqui deixou claro que a final da prova seria a 26 de maio. Agora, deu o dito por não dito, prejudicando os madeirenses que precisam de saber uma data para poderem marcar viagens e hotéis. Lidera a Liga ao sabor do vento. É fácil mentir e fazer jogo duplo ou triplo. Assim terá o fim que outros tiveram", disse o presidente do Marítimo a Record, revelando que, em vídeo-conferência, o Sp. Braga "apenas solicitou mais um dia, propondo 27 de maio, caso fosse à final, e o Marítimo não se opunha, desde que a data ficasse desde logo definida".

Sobre a hipótese de realizar a final nos Barreiros, caso o finalista fosse o Benfica, Carlos Pereira explicou: "Foi uma sugestão do próprio Benfica. Parece ter uma palavra connosco e outra com a Liga. Não acredito que não se possa alterar a final para a Madeira por uma questão logística. Alteraram o jogo de Portugal na Bélgica para Leiria. Não era bem mais complicado em termos de operação do encontro?"

Autor: João Manuel Fernandes