O nosso website armazena cookies no seu equipamento que são utilizados para assegurar funcionalidades que lhe permitem uma melhor experiência de navegação e utilização. Ao prosseguir com a navegação está a consentir a sua utilização. Para saber mais sobre cookies ou para os desativar consulte a Politica de Cookies Cofina

Record

Assinatura Digital Premium Saiba mais

Carlos Pereira: «Objetivo tem de ser claramente lutar pelos lugares europeus»

Presidente do Marítimo otimista de que equipa conseguirá repetir feito de 2017

• Foto: Paulo Henriques
O presidente do Marítimo, Carlos Pereira, assegurou esta sexta-feira que a equipa madeirense vai lutar por um lugar na Liga NOS que dê acesso às competições europeias e comentou o mercado de transferências em janeiro.

"O nosso objetivo tem de ser claramente lutar pelos lugares europeus. O discurso do coitadinho não entra no meu vocabulário. Sabemos que há dez equipas que podem atingir esse objetivo e nós temos de ser uma destas equipas. Se não atingirmos, por uma razão ou por outra, é diferente porque o futebol não é uma ciência exata. Agora, derrotista é que eu não sou nunca", garantiu.

A boa primeira volta dá confiança ao dirigente para que os 'verde rubros' consigam realizar uma segunda metade de temporada idêntica e repetir o feito de 2017, em que o Marítimo marcou presença na Liga Europa.

As palavras de Carlos Pereira aos jornalistas surgiram no âmbito da apresentação de Jorge Correa, o terceiro e último reforço contratado na reabertura do mercado de transferências de janeiro, após Joel Tadjo e Rúben Ferreira.

"Pretendemos sempre mais, mas temos de ter noção das nossas capacidades. Houve algumas saídas e foram compensadas com estas três entradas, que, para nós, são mais que suficientes para fazermos o trabalho que foi feito na primeira volta", comentou.

O mês de janeiro ficou marcado com o internamento do dirigente durante cinco dias no Hospital Dr. Nélio Mendonça, no Funchal, mas o trabalho não parou.

"Mesmo ausente, continuei a trabalhar. É sempre diferente e de forma satisfatória cá estar porque é sinal que a casa precisa e eu preciso de muita adrenalina e muita atividade, por isso, estou muito satisfeitíssimo por regressar e, como repararam, não foi uma paragem muito prolongada", referiu.
Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Marítimo

Notícias

Notícias Mais Vistas

M M