Daniel Ramos abordou o jogo com o Benfica dizendo que não é fácil jogar na Luz, ainda que a sua equipa tenha entrado bem na partida.

"É natural que os jogos fora de casa sejam mais complicados. O público é um fator muito importante. Quem joga em casa conhece melhor o espaço de jogo, tem melhores referências. Tivemos capacidade para fazer coisas boas no jogo e a diferença do resultado tem a ver com o nível de eficácia do Benfica, comparando com aqueles que consegue noutros jogos. O Benfica tem marcado sempre em casa, faz quatro ou cinco golos com facilidade. Disse que íamos arriscar, jogar o jogo pelo jogo e fizemos muito bem, fomos quase brilhantes durante 15 minutos. Com três remates à baliza, o Benfica estava a vencer 2-0. Isto pesa, faz com que a diferença se acentue. 4-0 era muito penalizador, disse os jogadores para fazermos uma segunda parte que dignificasse. Tivemos a primeira oportunidade e se marcássemos essa diferença que foi grande talvez fosse menor", referiu o técnico do Marítimo.

Ramos salientou ainda o facto de ficar sem três jogadores para o próximo compromisso, diante do Tondela: "Perco dois centrais, o Pablo e o Zainadine, e ainda o Gamboa. Saímos penalizados".

Questionado sobre a aspiração a alcançar um lugar europeu, o técnico lembrou que não é um objetivo prioritário, mas deixou escapar que, se houver essa oportunidade, é para agarrar: "É algo que muitos querem, mas poucos conseguem. Não é um objetivo prioritário para nós. Mas não fugimos à ambição, se pudermos atingir, vamos querer atingir. Vamos tentar somar pontos e ver o que resulta. Não vamos estar na máxima força, tinha perdido o Edgar Costa por lesão para este jogo e agora perco mais três. Isso é que me preocupa. Num plantel como o do Marítimo, perder quatro jogadores é muita gente".

Autor: Luís Miroto Simões