João Henriques somou o segundo desaire consecutivo ao comando do P. Ferreira, ao perder por 2-0 na receção ao Tondela, um resultado que o técnico vê como justo, ainda que lamente o facto de os dois golos beirões terem sido marcados de uma forma para a qual os castores estavam alertados.

"Sofremos dois golos exatamente da forma como nos preparámos durante a semana para os não sofrer. Estávamos alertados, analisámos o adversário nas transições ofensivas e acabámos por, aos nove minutos, sofrer um golo numa transição. Foi uma entrada em falso, não conseguimos pegar no jogo nos primeiros 45 minutos. Não criámos situações para finalizar, não fomos competentes e demos 45 minutos de avanço ao adversário. Facilitámos em duas ou três situações e a eficácia foi o ponto forte do Tondela.

Depois, na segunda parte, corremos atrás do prejuízo à procura do golo que pudesse revitalizar a equipa, mas não fomos o Paços dos últimos três jogos. Como tal, o Tondela, que, tirando os 'grandes', tem a melhor defesa a jogar fora de casa, não permitiu que conseguíssemos criar situações de finalização e foi um vencedor inteiramente justo, aproveitando as oportunidades.

Destaco que nesta equipa são os mesmos jogadores que nos últimos jogos mostraram qualidade. Trabalham e merecem que sejam respeitados. É uma equipa que tem tanta vontade de fazer as coisas bem, que essa vontade passa por cima do que deve ser o equilíbrio da equipa. A emoção superou a razão e não havia razão para isso, porque um golo aos nove minutos não resolve o jogo".

Autor: Lusa