Record

Assinatura Digital Premium Saiba mais

Dener pede desculpa por braçadeira ter ido parar ao chão

Treinador António Folha garante que episódio foi resolvido no balneário

• Foto: Ricardo Nascimento
Dener, capitão do Portimonense no jogo com o Santa Clara, pediu desculpas esta segunda-feira pelo seu comportamento quando foi substituído e a braçadeira ficou no chão, não tendo cumprimentado Paulinho, que o rendeu.

"A intenção passava por fazer com que a substituição ocorresse da forma mais rápida possível e acabei por passar a braçadeira de capitão de forma errada para o Ewerton", reconheceu Dener, num declaração conjunta com o treinador António Folha, publicada pelo Portimonense.

O médio brasileiro admite que a sua atitude "repercutiu-se de forma negativa e quero pedir desculpas a todos os que se sentiram ofendidos e desrespeitados. Procurei apenas acelerar a substituição, acreditando que a equipa poderia chegar à vitória".

Em relação a Paulinho, "já falámos e ele entendeu porque não o cumprimentei, pois pensei em perder o mínimo tempo possível, apenas isso. Quero pedir desculpas a todos", sublinhou Dener.

O treinador António Folha assegurou que "já conversámos no balneário e esta questão só teve alarido porque não ganhámos... O Dener, como grande profissional que é - e só que não anda no futebol não percebe isso - quis acelerar a substituição".

Folha adianta que "a situação não foi agradável e o Dener já pediu desculpas ao grupo mas não o podemos incriminar alguém que teve a melhor das intenções. Estamos com o Dener e o Dener está com o grupo. Trata-se de um excelente profissional, que deixa tudo pelo Portimonense, e dentro do nosso balneário já esclarecemos as coisas".

O esclarecimento público conjunto serve "para que as pessoas percebam que este episódio está mais do que sanado e só nos deixa mais fortes, pois conhecemos bem o Dener, o profissional que ele é e o caráter que tem".

O treinador refere ainda que "o grupo acarinhou muito o Dener e sabemos que esta atitude não podia ter acontecido, claro que não, mas não houve qualquer intenção de desrespeitar esta instituição".

Folha garante que o grupo "está unido e não vamos crucificar ninguém pois isso seria o mesmo que dizer: gosto dos meus filhos mas quando eles se portam mal desato à pancada... Não! Quando se portam mal educamos e não batemos. As pessoas de Portimão também são assim. Claro que ninguém gosta de ver isto e houve quem ficasse chateado mas não batemos nos filhos e vamos continuar a trabalhar com muita força e muito mais união".

Nas redes sociais, Dener publicou esta segunda-feira a seguinte declaração:

"No jogo do último sábado, na intenção de sair rápido do campo para ganhar tempo acabei errando feio e desrespeitando os adeptos e o Portimonense. Peço imensas desculpas a todos, pois nunca foi minha intenção desrespeitar vocês. Desde que cheguei ao Portimonense sempre fui bem tratado e nunca tive problemas com ninguém e mesmo nos momentos mais difíceis recebi o apoio de todos. Sempre busquei dedicar-me ao máximo em todos os momentos para ajudar o Portimonense. Infelizmente é uma mancha que fica e gostaria de apagá-la mas não é possível voltar no tempo e mudar as coisas mas acho que essa mancha não apaga as coisas boas que vivi neste clube, pelo qual tenho um carinho enorme, e nesta cidade. Desculpas a todos, irei aprender com o meu erro".

Recorde-se que vários adeptos do Portimonense, ainda com o jogo a decorrer, utilizaram as redes sociais para manifestar o seu descontentamento perante a atitude de Dener, pedindo que o jogador não ostentasse mais a braçadeira de capitão e, até, que não voltasse a vestir a camisola alvinegra. Um episódio entretanto sanado com o esclarecimento conjunto do jogador e do treinador.
Por Armando Alves
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Portimonense

Lucas bate à porta

Jovem talento brasileiro espera estrear-se na Liga NOS e ajudar equipa a somar a primeira vitória
Notícias

Notícias Mais Vistas

M M