Abel Ferreira analisou a derrota diante do FC Porto reconhecendo mérito a José Sá, guarda-redes dos dragões. O treinador do Sp. Braga disse que o resultado é excessivo face ao que se passou na partida.

José Sá inspirado

"Acima de tudo faltou que o José Sá não estivesse tão inspirado. O FC Porto faz os golos nos momentos-chave do jogo. Sabíamos da forma de jogar do FC Porto e estávamos precavidos e preparados para os cruzamentos exteriores deles. Quando estávamos à procura do 2-2, o Sá faz uma grande defesa e, contra o que era a corrente do jogo, o FC Porto faz o 3-1. Mesmo assim, tivemos ainda mais duas oportunidades. O 3-1 parece-me demasiado para o que se passou nos 90 minutos".

Entrada de André Horta

"O André Horta entrou porque precisávamos de ter bola e decisão e ele pode dar ligação entre a linha média e avançada. Queríamos ter mais bola e remates exteriores, bem como chegada na área".

Estreia de Diogo Figueiras

"O que me deixou satisfeito foi a vontade dos jogadores. Nós queremos ter jogadores deste nível".

Agradecimento aos adeptos

"Foi um grande jogo para quem assistiu. Uma palavra de agradecimento aos nossos adeptos".

Terceiro lugar mais longe

"Para chegarmos ao pódio, a diferença está em acreditarmos e, em momentos-chave, em faturar. Em momento nenhum nos renegámos e queríamos chegar a um melhor resultado, mas, como já disse, o momento-chave do jogo esteve na defesa do José Sá".

Autores: André Gonçalves e Rúben Tavares