O ciclo mais fulgurante da época do Sp. Braga, que prossegue neste momento com quatro triunfos consecutivos e 13-0 em golos , tem também um particular cunho familiar como ainda não se tinha visto. É o verdadeiro encontro dos irmãos Horta, finalmente, no capítulo da influência direta em conjunto, dentro do melhor coletivo, com Ricardo a faturar quatro golos só nos últimos três jogos e André a pegar de estaca nas operações do meio-campo, o que também é novidade e numa fase em que a propalada saída para a MLS caiu mesmo por terra.

Basta registar que André Horta só tinha um jogo completo na época e nos últimos quatro terminou três e saiu a três minutos do fim na receção ao Tondela. Algo que acabou por ser até motivo de referência particular do treinador, elogiando acima de tudo a paciência de quem andou toda a época na sombra de Danilo, mas aparece finalmente em plano de destaque.

Já Ricardo Horta acaba por confirmar uma evolução que estava nos planos desde o início da temporada. Com 8 golos em 34 jogos, o extremo transformado em verdadeiro avançado, está a um só tento de igualar a marca da época passada (9 golos em 44 jogos), assumindo-se como um dos elementos mais utilizados do plantel às ordens de Abel Ferreira. Ricardo Horta divide com Paulinho o 5º lugar do grupo nesta hierarquia de utilização, caminhando a passos largos para a melhor época da sua carreira.


Autor: António Mendes