Record

Assinatura Digital Premium Saiba mais

Bruno de Carvalho sugere 15 pontos para o Governo tomar posição

Presidente do Sporting diz que "está na hora de o Governo e de os partidos políticos deixarem de ter medo"

• Foto: Paulo Calado
Bruno de Carvalho reagiu esta quinta-feira as declarações de Ana Catarina Mendes, secretária geral-adjunta do Partido Socialista, que pediu ao secretário de Estado do Desporto para chamar os agentes desportivos depois das mais recentes polémicos no futebol. O presidente do Sporting considerou que "está na hora de o Governo e de os partidos políticos deixarem de ter medo e assumirem as suas responsabilidades em tudo o que se está a passar" e sugeriu que sejam tidos em consideração 15 pontos.

" 1. Fazer um mea-culpa (todos), porque, durante os seus mandatos, não actuaram perante os constantes alertas e informações dadas pelo Sporting CP e as constantes evidências que vinham e vêm a público;

2. Ter, de vez, uma intervenção directa no futebol, com a criação de um organismo independente para a arbitragem e outro para a disciplina e justiça desportivas (e esta tendo de estar sempre sujeita às Leis Gerais do Estado);

3. Aumento das penas para quem tenha claques ilegais e para quem promova condutas de tentativa ou de concretização de práticas, passivas ou activas, de corrupção e viciação da verdade desportiva;

4. Não ter medo de actuar em conformidade apenas porque as pessoas são Presidentes dos Clubes, e ter a coragem de fazer o que já foi feito, por exemplo, em Itália com a Juventos, em Espanha com o Presidente da Real Federação Espanhola, ou na Alemanha com o Presidente do Bayern de Munique;

5. Controlar a actuação do IPDJ, ou mesmo a sua intolerável inoperância;

6. Assumir as suas culpas no famoso caso Totonegócio e acabar com essa dívida indevida e devolver aos Clubes o excesso já pago por estes;

7. Para a credibilização e dignificação do futebol português, decretem que a realização e produção dos jogos não possa ser feita pelos próprios clubes;

8. Decretar que todas as receitas de apostas do futebol (nacional e internacional), venham para os clubes. E o das apostas das restantes modalidades que, os clubes que as têm, as recebam também na totalidade;

9. Que decretem que a Liga seja apenas para a promoção e potenciação do negócio do futebol;

10. Que decretem que a FPF tenha apenas a seu cargo o futebol de formação, as Selecções Nacionais e o futebol amador, tendo de garantir o pagamento do VAR e da tecnologia da linha de golo nas competições oficiais, pois são os clubes que lhes fornecem os jogadores para as Selecções;

11. Respeitar os amantes do desporto, colocando o IVA dos bilhetes do futebol, de imediato, na taxa igual ao dos restantes espectáculos e, finalmente, descer todos para 7% (23% - 13% - 7%);

12. Decretar que o Presidente da Liga e o Presidente da FPF não são escolhidos pelos Clubes, para não existirem relações de "dependência". Seriam nomeados pelo Governo que assumiria a responsabilidade da sua capacidade e know-how;

13. Deixarem de se esconder por detrás de um conceito de "livre associativismo", quando estão a deixar morrer todos os seus pressupostos e princípios basilares;

14. Terem penas pessadas para quem, no exercício das suas funções públicas - políticos, magistrados, funcionários do Ministério Público, polícia etc... - for conivente com a tentativa ou práticas ilegais com influência directa ou indirecta para benefício de clubes, ou dos seus dirigentes ou familiares, mesmo nas suas vidas particulares."

15 - O Governo, no âmbito das funções do regulador, devia promover uma reunião com televisões, rádios e jornais, distribuidores e Clubes, para que nos programas de debate, notícias e outros espaços de difusão, sejam cumpridas escrupulosamente as regras de ética e deonctologia profissional a que todas as partes têm que estar vinculadas, para de uma vez por todas se acabar com uma das formas utilizadas para o "terrorismo comunicacional" e a consequente destruição da credibilidade e dignificação do futebol.

Bruno de Carvalho concluiu fazendo votos para que as coisas mudem: "Espero, e quero acreditar, que estes apelos sejam para finalmente começarem a trilhar este caminho."
94
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas

M M