A um milhão de adeptos do Benfica

- Somos mais de três milhões. Somos quase 3,5 milhões. Há uma coisa que me irrita: é que sejam os próprios sportinguistas a cairem no mito que nos prejudica nos patrocínios, naquela treta de no Benfica serem seis milhões. Não são seis milhões, nem 14 milhões, são mais ou menos 4,5 milhões. Vejam lá se os sportinguistas deixam de cair nesse mito urbano. Somos fortes, uma grande marca e podemos chegar mais longe. Não queremos cair mais nas esparrelas. Temos quase os mesmos sócios, nós vamos tirando as pessoas que morrem das nossas listas, enquanto outros os mantiveram lá durante 100 anos. Viva o Sporting Clube de Portugal.

Investimento no multidesportivo

- Temos mais de três mil pessoas a entrar no multidesportivo por dia. Criticar é fácil. Agora pensem que todos os dias na vossa sala entravam 100 pessoas, umas amigas e outras que não conhecem de lado nenhum. É um investimento de 400 mil euros, ficará como estava quando foi inaugurado mas com controlo de acesso e financeiro. Nós fazemos a obra, mas se não vierem mais sócios a ajudar o Sporting, depois é impossível. Vocês têm de escolher, ou querem obras, ou equipas a vencer, ou que o Sporting responda a emails, ou ser bem recebidos na loja... 

Caso Doyen não afeta pavilhão

- O Sporting tem toda a razão no caso Doyen. Não temos dúvidas daquilo que colocámos, mas não fazemos a mínima ideia do que vai ser a decisão. Sabemos que há muitos inocentes dentro de prisões e culpados fora delas. Se houver justiça ganhamos, se não houver podemos perder ou pouco ou tudo. A SAD recorrerá para os tribunais. Se perdermos de um lado, temos a certeza de que ganharemos do outro. Fomos a primeira direção das últimas décadas que não teve medo de tirar à SAD para dar ao clube. E se perdermos? Março de 2017, pavilhão João Rocha. Não gastámos ou deitámos fora. Vamos outra vez ganhar o nosso espaço. Se perdermos, na SAD arranjaremos solução, mas ao clube já ninguém tirará um património. Portanto esses facebooks escusam de esfregar as mãos se perdermos com a Doyen, porque aquele pavilhão, que não ia sair do buraco, está pago! Perguntam logo "pago como?". Com dinheiro. Pegámos em dinheiro e pagámos. Querem saber com que caneta foi... Foi por transferência bancária. Está pago, março de 2017. Por esta direção e por estes órgãos sociais. Esteja aqui o Bruno, António, Luís, Maria, o pavilhão vai ser feito e está pago. Interessa-me o orgulho em presidir ao Sporting e que vou ter todos os dias de passar por aquele pavilhão. Muito deste dinheiro vem de mais de 10 mil sportinguistas que participaram na Missão Pavilhão. Faltam ainda perto de 400 mil euros, peço que terminem a missão. Confiamos que vão terminar, e vamos iniciar no próximo mês as obras no multidesportivo. Voltaremos a ter um multidesportivo digno do Sporting Clube de Portugal.

Auditoria concluída

- Foi tudo sempre de uma forma muito estranha, estas assembleias eram uma chatice, aturar os sócios... Isto já não era para existir, vocês eram meros utilizadores de urna. Esteve quase para ser assim. Vocês eram incómodos. Haveria um Conselho Leonino alargado e ali se resolvia tudo. Isto era um conjunto de amigos, com muitos conhecimentos nos bancos, com grandes jantaradas, mas onde os sócios não tinham de perceber. Quando vos quiseram tirar o poder e metê-lo em meia dúzia de pessoas, o Sporting quase chegou à falência. Com esta auditoria, podia-se fazer um manual de não gestão, com o que nunca se pode fazer numa empresa.

- A nossa promessa está cumprida: todos os sócios podem consultar os dossiês da auditoria. Está feita a análise do passado. Serão tiradas ilações mas não posso deixar de fazer um resumo. Agora quem fala é apenas o presidente, o sócio, o adepto, o acionista Bruno de Carvalho. Acho que sofremos logo no início uma forte hiprocrisia. Dissemos: queremos profissionalizar o Sporting, deixar de ser amadores. Mas houve um problema: é que toda a solução empresarial montada era sem qualquer conexão com o que é um clube desportivo. O clube tem estas especificidades: tem os sócios, AGs, a paixão... e aquilo foi tudo muito matemático. A segunda hipocrisia é que nós caminhámos numa solução em que o foco era o futebol. Se não temos o pavilhão não foi por se terem esquecido. Isto foi trabalhado anos e anos. Em termos de evolução, é fácil. Vendas de património, soluções financeiras sempre em benefício da SAD e não do clube... Os sócios foram aprovando tudo o que lhes aparecia à frente. Houve pessoas mais capazes, menos capazes, com gestão mais danosa ou menos danosa. Mas de facto, a evolução foi terrível. Espirais de dívidas resolvidas sempre com mais dívidas, batíamos palmas e já não percebíamos. Cada vez mais para o buraco até que teve que aparecer esta direção. Uma falta de sucesso desportivo tremendo que agudizou tudo isto.  

Gala nos estatutos

- Reconhemos que somos a direção que mais muda os estatutos, mas é fundamental que lá esteja a gala do Sporting. Queremos que o Sporting tenha sempre a sua gala nos estatutos para que todo o mundo saiba que somos enormes e para que quem vier não se esqueça do nosso ADN e da nossa cultura.

Empréstimo não é para o pavilhão

- Sobre o ponto 2: os bancos nunca quiseram o pavilhão. Nunca dariam 1 cêntimo para o pavilhão. Esta dívida não altera nada a restruturação financeira. Podia ser apresentada antes, esquecemo-nos, é um facto. Mas não alteramos nada, percentagens nenhumas. Foram negociações em favor do Sporting e que não alteram em nada o trabalho que temos estado a fazer. Claro que houve um aumento de 9 milhões de endividamento, mas não altera nada perante os acionistas.

- Não é por termos estes resultados que temos dinheiro para todas as modalidades. Há dívidas para serem pagas. Mesmo assim este ano já investimos muito em todas as modalidades. Atletismo e ténis de mesa incluídos. Precisamos de mais sócios e mais esforço. A melhor prenda que podemos dar ao sócio não é responder a emails ou ter meninas bonitas na loja, mas sim dar alegrias em todas as modalidades. É para isso que trabalhamos e que vocês pagam as quotas.

Remuneração na estrutura

- É tão fácil, e está cá o presidende do Conselho Fiscal, ser amigo de alguns agentes e ter contas offshore... Eu protegerei o Sporting mas não me deixem cair, porque eu caio de facto. Sou pai, tenho duas filhas, tenho de sustentar a minha família e pus sempre o Sporting em primeiro lugar. Eu optei por defender o Sporting, por enfrentar tudo o que fosse necessário pelo Sporting. Se estas pessoas não tivessem aparecido , já não havia Sporting e isso tem de ser reconhecido pelas pessoas. O Sporting não vai a lado nenhum com frases bacocas. Tem de haver líderes. É ditadura? Não, é assim. Tomo muitas decisões? Claro! É preciso! Por dia são às dezenas. O Sporting acha que pode ter no clube pessoas não remuneradas, que deve ser tudo amor e carinho. Se quiserem melhorar o Sporting, não peçam às pessoas para virem trabalhar de borla. Ou já estão numa idade que já não precisam de nada e é preciso ter muita vitamina, ou então querem um conjunto de pessoas que dizem que não recebem nada mas que recebem de outra forma. É escolher. Toda essa malta que andou cá e não recebeu nada, deu os resultados que deu.

Sucesso da formação

- Antigamente era preciso passar muitas gerações e aqui no Sporting há logo talento. Éramos acusados de destruir a formação, as modalidades, e agora que ganhamos é uma chatice. Enquanto o Benfica dizia que tinha melhor formação do Mundo, se olharmos para os resultados, parece que estávamos a fazer um bom trabalho. Demora é tempo. As contratações? Eram feitas consoante aquilo que tínhamos. Tinha o clube falido e ia buscar o Teo ou o Jorge Jesus? Fomos crescendo, melhorando, aprendendo, defendendo sempre o Sporting Clube de Portugal.

Ser adepto e presidente

- Ainda não vi um comentador ou paineleiro que tivesse a experiência que eu tenho. Podem ter sido jogadores há 50 anos, jornalistas há 60, mas não percebem patavina do que é ser presidente de um clube. Ser presidente de um clube que estava falido que está como está hoje... têm de passar muitas gerações para perceber o que é ser presidente. 

- Eu sei que erro. É por saber que estou sempre a dizer que temos de continuar com os pés na terra. Temos muito trabalho pela frente. É fácil, para quem critica, pensando apenas num assunto específico, pensar que pode opinar sobre aquele assunto porque a cabeça do presidente tem assuntos divididos que não estão interligados. Às vezes aquele assunto que até parece um erro, pode não ser erro nenhum. Não queiram que eu venha aqui ensinar como é ser presidente do Sporting. Cada decisão tomada - e é outro mito - o presidente tem de ser menos adepto e ser mais presidente. Então por que não mudarmos o estatuto que diz que para se ser presidente tem de ser sócio, logo adepto. Nunca deixarei de ser adepto. Sabem que uma palavra mais arrojada pode ser estratégia.

Não há petróleo em Alvalade

- O Sporting não descobriu petróleo, mas sim que há deputados que se preocupam muito com o Sporting e com mais ninguém. Foi a única coisa que se descobriu. Digo também - a eurodeputada foi de um partido e o deputado de outro - que tenham muito cuidado porque quem se meter com o Sporting vai ter mais de três milhões de inimigos. Há um mito para acabar: primeiro esses deputados têm de deixar de ser a Madre Teresa de Calcutá no que toca ao Sporting e depois compras de 20 milhões é normal. Sobre o contrato extraordinário do Benfica: nem há uma regra na CMVM que diz que esses negócios têm de ser comunicados, o número era tão grande que ocupava o servidor da CMVM. 

- Dia 30 vamos ter uma AG. Apresentamos 19 milhões de lucro, vêm logo dizer que roubámos a Doyen. Quando chegámos, o Sporting tinha tido um resultado de quase 100 milhões negativos. Quase o pior resultado da Europa. Conseguimos que no fari play financeiro não houvesse qualquer multa, apenas uma multa suspensa e o facto de inscrevermos 23 em vez de 25 jogadores na Champions. Tudo isso acabou com este resultado e isto deve-se a muito trabalho e dedicação. 

Carlos Pereira e o negócio Danilo

- Houve uma pessoa que disse que os euros eram iguais a norte ou a sul. Julguei que não eram. Mas sabemos que a prostituição - aqueles que se vendem por dinheiro - é igual no continente e nas ilhas. 

- Carlos Pereira: "Danilo não esteve perto do Sporting, Danilo esteve no Sporting". Carlos Pereira fez um contrato que demorou 48 horas por 4,5 milhões. Fechámos o acordo com o jogador em 24 horas. Pelo que é público, o negócio foi feito por 3,8 milhões. Portanto o facto de os sportinguistas terem visto que havia um agente que tinha 30% do Danilo, não fez juntar a peça 1 com a peça 2 e com a peça 3. Leram "este presidente não sabe negociar, ele esteve em Alvalade e nem foi lá recebê-lo". Danilo é do FC Porto desde pequenino, acho que mesmo antes de nascer. O Sporting não podia fazer mais nada, a nossa contabilidade é transparente, e só lá temos computadores e folhas, não temos sacos. Há quem os utilize para meter fruta ou lixo. Mas o mal é que o presidente se dá mal com todos os agentes! Eu dou-me bem com 99% dos agentes. Se um dia quiserem que me dê bem com todos, em vez de teclarem no facebook, vêm aqui e fazem uma proposta: deixe de defender o Sporting e dê-se bem com todos os agentes.

O caso Mitroglou e os 200 milhões de Cervi

- Dizem que sou muito lento a negociar. Eu digo a essas pessoas que ainda são muito novinhas. Quando um dia tiverem um filho têm de esperar 9 meses. As coisas não se fazem à pressa. E quando não se tem dinheiro então... O Cervi, o que li na comunicação social, é que o Sporting apresentou uma proposta de seis milhões, e o negócio fez-se por 4,8 milhões. Com isto aprendi que o futebol é o único negócio em que se vende ao que paga menos. Cada um entenderá o que quiser.

- Um homem que bradava "eu tenho o contrato do Mitroglou!"... Relembro a esse senhor que o nosso treinador teve uma frase: se quiséssemos o Mitroglou já o tínhamos há muito tempo. O treinador do Sporting preferiu o Teo e renovar com o Slimani. O Sporting não pode ter os jogadores todos, fez um grande investimento este ano e arriscámos muito no que fizemos. Recebo mensagens a dizer que perdi o Mitroglou... Não chego a todos mas mesmo assim os especialistas reconhecem que temos o plantel mais valioso. Vai deixar de ser em junho porque o Cervi chega ao Benfica e vale no mínimo 200 milhões.

Benfica é de Carnide

- O centro dos problemas começa sempre nas tais páginas de apoio ao Sporting. Esta que um presidente do Sporting tem de ter respeito a falar de um rival... que um presidente não pode chamar ao Benfica Carnide. Concordo, mas também é preciso saber ler. E alguns fingem que não sabem. O que eu disse foi que apesar de termos desmentido o interesse a um jogador, saiu uma notícia e eu disse que o jogador estava muito mais perto de Carnide do que de Alvalade. O Benfica fica em Carnide, errei porque o Sporting fica no Lumiar. Não tenho problema nenhum em dizer o nome Benfica. Reconhecemos uma grande instituição. Depois a maior parte dos seus comentadores televisivos são a minha fonte de alegria. Às vezes estou a ver televisão e faz-me lembrar uns nenucos gordos que eu dava às minhas filhas e que diziam "papá mama, papá mama". Parecia verdade mas não deixava de ser um nenuco gordo que debitava o que lhe meteram no gravador. 

Álvaro Sobrinho

- O Dr. Álvaro Sobrinho, grande sportinguista, a única coisa que fez foi passar a dívida a capital. Portanto quando os nossos detratores dizem que é um clube de sobrinhos, tias e avós, tenho de dizer que somos porque prezamos a família e não labregos, otários e estúpidos. Temos construído tudo com muito trabalho e sacrifício. 

- Algumas das fontes da comunicação social vêm dessas mesmas seis pessoas, que depois tentam trazer mais e mais que esta direção, aquilo que tem de lucro, é por causa da Doyen, do Álvaro Sobrinho, mas não pode ser esta direção a ter qualquer mérito. Tenho de lembrar que Jesus já estava contratado há anos, eu apenas o recebi. O clube estava salvo e milionário e eu apenas ainda não encontrei a gaveta onde está guardado o cheque. Digo que os famosos dossiês que me foram dados pela anterior direção, eu guardei-os para um dia mostrar que não é uma passagem de testemunho para outro presidente. Análises brilhantes e extremamente úteis. 

Comentadores de Facebook

- Nunca assisti na minha vida a um Sporting tão sereno, unido num projeto para um Sporting diferente, mais competitivo, mais ganhador. É importante termos noção de que o Sporting está a mudar, a crescer, e tem de facto de ter nos seus associados o 12.º jogador, no futebol e nas modalidades. Saber que existem sportinguistas que se regozijam com as derrotas do Sporting, que rezam a todos os santos para que o Sporting perca com a Doyen, que não haja pavilhão... Há um governo sombra de seis pessoas que anseiam para que tudo corra mal. Havemos de falar de um empréstimo que essas pessoas disseram logo "está aqui o dinheiro do pavilhão!". Estou disponível para que essas pessoas venham até aqui, digam as suas ideias, candidatem-se. Agora saiam de trás, até porque eu estou cansado e não vou permitir que existam sportinguistas que desejem mal do Sporting, uns porque não participaram no desenho do pavilhão ou porque a mulher não veio para aqui trabalhar... Essas seis pessoas que vão poluindo o Sporting, que deseja claramente o mal estar do clube... Há páginas no facebook onde a maior parte dos perfis são pessoas do Benfica, de comum acordo com essas tais seis pessoas. Há páginas que partilham links de páginas do Benfica. Só porque diz mal do presidente. É uma vergonha. Pergunto: quando olhamos para o que aconteceu, e quando existem sócios que pedem aqui para que pessoas sejam suspensas de sócio, o que hei de fazer a quem anda por aí a desejar o mal do Sporting? Não se pode vedar a entrada da comunicação social, para isso tínhamos de estar em blackout. 

- A verdade é que o Sporting quando começámos era o clube com maior dívida, neste momento dos três grandes tem a dívida menor. Este ano, entidades que não o Sporting reconhecem o nosso plantel como o mais valioso dos três grandes. É fácil poluir a comunicação social e os facebooks, cada vez mais importantes nas nossas vidas. Se ganhamos, esses perfis acalmam-se, se perdemos atacam logo. Até já têm várias versões para as várias desgraças que podem acontecer ao Sporting. É só ligar para ver quem está disponível para postar naquele momento. Muitos são pessoas assíduas desta assembleia.

Champions falhou mas Sporting lidera a Liga

- O Sporting teve um troféu e venceu. Não entrou na fase de grupos da Champions e todos já perceberam porquê. Mão na bola do adversário não é penálti nem motivo de anular golo. Golo do Sporting pode ser anulado ou não. Como não aconteceu nada no golo em Moscovo, a bola não saiu nem tocou em ninguém, nem percebi a lei. Mas saímos da Champions. Estamos ainda na Liga Europa - o primeiro resultado não foi o que esperávamos. Na liga estamos em primeiro. 

Reuniões preparatórias desnecessárias

- Antes de cada jogo há uma reunião preparatória, onde estão o comandante da polícia, dos bombeiros, delegado da Liga, presidentes, elementos da equipa técnica, diretores... Há uma conversa de grande fair play e de amizade onde falamos daquilo que deve ser o jogo que vai acontecer. A maior parte das pessoas não sabia que existem estas reuniões. Confesso que ontem fiquei com uma certeza: é que não vale a pena estar nelas. Bastava um gravador porque ouvimos sempre a mesma coisa, aquilo do "boa sorte para todos"... eu sugeria à Liga e à FPF mandassem um ficheiro de voz por mail e escusávamos de perder tempo numa reunião. Ontem, mais uma vez, o árbitro disse que queria ser um elemento quase invisível, sem ser notado. Acabei por ser expulso por lhe dizer que tinha sido notado de mais. Faço um alerta: até hoje já fui castigado várias vezes, mas depois de cumprir os castigos quase todos me foram retirados. A única vez que de facto estive castigado aconteceu algo como um delegado que escreveu ofensas que teria proferido - as imagens demonstram o contrário e o ofendido disse que não se passou nada de especial - mas o que está escrito está escrito. No futebol é assim. Se houvesse uma câmara... O Sporting tem de conseguir ultrapassar estas situações.

"Novas leis" do futebol no Bessa

- Não posso de vos deixar transmitir as novas leis. Bola que bate na mão de um adversário do Sporting não é penálti. É a nova lei do futebol. Não vale a pena e apelo que os sportinguistas não tocassem nesse tema. Assim como temos de entender de uma vez por todas que agarrar jogadores do Sporting dentro da área não é penálti. São mimos, afetos e o futebol também é isso. É mostrar o carinho que temos uns pelos outros. Apelo aos jogadores do Sporting que não tenham o mesmo carinho dentro da área, porque se derem um abraço a um adversário dentro da área é penálti. Temos de entender também que a lei do fora de jogo para o Sporting é dúbia. Manda quem pode, obedece quem tem de obedecer.

- Estivemos em casa no Bessa e ninguém o focou nas intervenções nas televisões. O sentimento era mútuo. Estávamos tristes porque esperávamos ser líderes isolados e não o pudemos fazer, e por isso estamos tristes. O nosso treinador foi claro. Não há aqui desculpas ou rodeios, estamos tristes. Mas há uma coisa que os sportinguistas não se podem esquecer. O Sporting tem de deixar de ser aquele clube que passa do estado de euforia para a depressão. Estamos em primeiro lugar, e foi essa uma das promessas que fizemos. Entendam que o campeonato é uma maratona, onde vamos ter de ser mais fortes, fazer mais e melhor. Onde vamos ter de fazer triplamente mais e melhor porque infelizmente os erros continuam a ser uma constante, sempre para o lado do nosso clube.

Pirotecnia é prejudicial

- Agradeço a todos os sportinguistas que foram ao Bessa. Sentimo-nos em casa e é importante que isso continue a acontecer. Não posso deixar de lamentar o uso de pirotecnia. São multas avultadíssimas. Tenham a completa noção de que cada vez que fazem isso estão a prejudicar fortemente o Sporting. Não podemos estar sempre a olhar para trás, a culpar tudo e todos, quando nós próprios afinal usamos gestão danosa com a utilização de algo que não tem interesse nenhum. É proibida!

Acompanhe, em direto, o discurso de Bruno de Carvalho que abre a assembleia geral do Sporting.