Godinho Lopes (ex-presidente do Sporting), Pedro Sousa (antigo funcionário do Sporting), Nobre Guedes (ex-dirigente do Sporting), Pinto da Costa (presidente do FC Porto), Paulo Gonçalves (assessor jurídico do Benfica) - que vai em representação de Luís Filipe Vieira -, Adriano Galliani (administrador-delegado do AC Milan) e Florentino Pérez (presidente do Real Madrid) fazem parte da lista de testemunhas da Doyen no processo contra o Sporting.

O fundo e o clube leonino estão em tribunal na sequência da transferência de Marcos Rojo para o Manchester United, no verão passado. O Sporting alegou que a Doyen se intrometeu na negociação com o United e isso terá prejudicado o encaixe financeiro que os responsáveis leoninos esperavam alcançar. A SAD leonina pede uma indemnização pela diferença entre o recebido (20 milhões) e o valor da cláusula de rescisão (30 milhões), mais danos morais e prejuízos referentes aos direitos de imagem. Já a Doyen alega que o Sporting tem de pagar 75 por cento dos direitos económicos do atleta, ou seja, 16 milhões de euros.

Na lista constam ainda os nomes de Gil Marín (conselheiro-delegado do Atlético Madrid), Monchi (diretor de futebol do Sevilha), Amadeo Salvo (presidente-executivo do Valencia) e Javier Tebas (presidente da Liga espanhola).