Terminou a conferência. Bruno de Carvalho admitiu a possibilidade de apresentar a demissão no caso de os seis jogadores que apresentaram cartas de rescisão aceitarem voltar atrás e se comprometerem a continuar a jogar em Alvalade. Mesmo no caso de esta direção, em caso de novas eleições, se candidatar e ganhar.

"Se o problema é este Conselho Diretivo, então basta escreveram uma carta à SAD dizendo que se esta direção se demitir voltam atrás com as rescisões e jogam no Sporting, e uma segunda coisa é se voltarmos a ganhar em eleições que continuam a valer essas premissas. Basta essa carta dos seis e nós na mesma hora nos demitimos. Uma carta em que digam dois pontos: que se nos demitirmos que voltam atrás com as rescisões; que se nos candidatarmos e ganharmos continuam a valer essas premissas", considerou o presidente do Sporting.

TUDO O QUE FOI DITO POR BRUNO DE CARVALHO NA CONFERÊNCIA

Justa causa? "Não sou advogado mas isto não é justa causa"

Patrício e Podende podem voltar?
"Claro, aqueles são 7 dias em que a SAD não pode recusar. A partir daí é decisão da SAD eles voltarem ou não. Há aqui muito em jogo e os jogadores vão voltar para trás. Se o voltar para trás for a necessidade de sairmos, façam a carta; se não, continuamos aqui".

Planeamento da próxima época?
"Plantel existe e existirá, independentemente destas rescisões, pois há jogadores que estava prevista a sua venda. A pré-época começa daqui a 10 dias porque não quisemos atrasar. Ainda falta muito para começar a época. Se chegámos ao clube e os jogadores não valiam nada, por que não ultrapassar também esta situação. Já tivemos uma situação mais complicada, em que o plantel podia ter rescidido todo, porque não tínhamos dinheiro."

Em 2011 o que diria desta situação? "Nessa altura o Sporting apresentava prejuízo, vendia património ao desbaratado e não sabia vender jogadores. Está a comparar com cartas de rescisão. Eu não cumpro o que prometi aos sportinguistas e leio o seu jornal. É uma comparação desonesta. Quando formos embora os processos caem mas porque têm de cair, se chegarem ao fim caem todos. Estes processos de rescisão não vão dar em nada. Deixem-nos gerir o Sporting e seremos um exemplo para o futebol mundial, porque é o futebol mundial que está a ser posto em causa, com o vencedor destas rescisões por não justa causa. O que diria? Estaria ao lado do presidente porque não gosto de chantagens."

Consequências nas finanças? "Não está a ser positivo para as contas do Sporting. Não chegou nenhuma proposta por William, Gelson, Podence e Bruno Fernandes. Houve conversas mas não vi formalização, parece-me, pelo Rui Patrício. Mas temos lido que o Sporting recusou proposta do Gelson... Até dia 15 não renovamos nem vendemos nenhum jogador previsto. Isto é salvaguardar o património do SPorting. Se ahcarem o contrário, os serviços estão abertos e é fazer a AG destitutiva, ou então quem está por trás disto é fazer um documento e nós demitimo-nos amanhã."

O presidente do Sporting responde agora aos jornalistas

"Continuamos a acreditar no que fazemos e por isso cá estaremos, alertando os sportinguistas que isto não pode ser um drama sempre que acontecer. A informação que temos é que acontecerá mais até dia 15. Por isso as pessoas têm de ver isto como um tudo. Venham cá para fazer a AG destitutiva ou os jogadores que apresentaram rescisão apresentem a carta naqueles moldes."

"Se escreveram a carta nos tais moldes nós apresentamos a demissão, é garantido, mas fiquem com noção do quão pobre fica o Sporting na sua gestão, pois perde a sua força negocial, face e credibilidade. Mas percebemos a angústia."

"Se nos formos embora o futebol muda de paradigma. Se isto são causas por justa então é melhor o futebol mudar completamente. Se saírmos, que tipo de liderança teria o próximo presidente. Iria gerir sob medo, sob pressão? Nao, os jogadores voltaram atrás e ele vendia-os. E se quisesse esses jogador ir embora fazia o mesmo e o Sporting não saía disto. O mais fácil era apresentarmos a demissão mas o Sporting perdia tudo o que conquistou em cinco anos, pois quem mandava no clube seriam agentes e advogados. Não quero meter os jogadores nisto. Na altura certa direi o que sei sobre cada um deles. O que traria de bom a nossa saída?"

"Ao mesmo tempo que temos cartas de rescisão, temos CS a dizer que se este CD se for embora os jogadores voltam atrás. Por isso, queremos dizer que se os seis atletas que rescindiram - e mais poderão acontecer até dia 15, numa estratégia de desgaste. Se o problema é este CD, então basta escreveram uma carta à SAD dizendo que se esta direção se demitir voltam atrás com as rescisões e jogam no Sporting, e uma segunda coisa é se voltarmos a ganhar em eleições que continuam a valer essas premissas. Basta essa carta dos seis e nós na mesma hora nos demitimos. Uma carta em que digam dois pontos: que se nos demitirmos que voltam atrás com as rescisões; que se nos candidatarmos e ganharmos continuam a valer essas premissas."

"Vemos nos sportinguistas dois sentimentos: que percebem que há aqui uma situação de chantagem, que mais uma vez não me parece para ser levada até ao fim, até pelo teor das cartas, é tão fraca a argumentação, que já se percebeu que os processos não vão até ao fim, como o caso da AG de dia 23."

"Lamentamos que o Sporting esteja a passar por uma situação destas, vivendo dúvida, incerteza, angústia... Não é o desígnio desta direção. Mas temos de tomar uma decisão, olhar para o Sporting e tomar uma decisão. Tenho aqui três cartas porque ainda não entrou a do Bas Dost. O que está nestas cinco cartas, e imagino a sexta, não tem qualquer fundamento a nível de justa causa. E não somos maluquinhos. Sabemos o que estamos a dizer.

"Mais um dia difícil para a família sportinguista. Não que estas situações não estivessem pensadas, pois estamos a viver uma altura onde há um ataque concertado grande. São quatro as cartas de rescisão que chegaram."

Bruno de Carvalho fala em conferência de imprensa a partir das 21h30, em reação às rescisões de William Carvalho, Bruno Fernandes, Gelson Martins e Bas Dost nesta segunda-feira. Acompanhe todas as declarações do líder leonino em direto.

Inquérito Record

Depois desta nova vaga de rescisões, Bruno de Carvalho tem condições para continuar à frente do Sporting?