Nuno Saraiva mostrou esta quinta-feira, no programa Verde no Branco, da Sporting TV, aquilo que diz ser uma fatura da aquisição de um Red Pass, no qual surge a expressão "Claque NN" em referência à zona do Estádio da Luz que havia sido 'reservada'. Em causa está, uma vez, o alegado apoio ilegal do Benfica a claques, que havia denunciado minutos antes, a propósito de bandeiras de dimensões superiores àquelas que são permitidas por lei.

"É o duplicado de uma fatura que me chegou, com data de 17 de junho de 2017, passada pela SAD do Benfica, tem o NIF da Benfica SAD, assim como o destinatário, Paulo Jorge Costa Dias, que comprou um serviço ao Benfica. Comprou um RED PASS, com a seguinte designação: bancada Sagres, Piso 0, fila 12, lugar 3. Com a seguinte designação: claque NN. Isto está nesta fatura…. Foi passada a um senhor chamado Paulo Jorge Costa Dias, um conhecido elemento dos No Name, pelo menos desde 1996. Porquê? Porque foi um dos arguidos no tragicamente célebre caso do very light", revelou o diretor leonino, que prossegue:

"Perante mais esta prova documental, que naturalmente faremos chegar não só às autoridades policiais e judiciais, mas também ao IPDJ. Interrogamo-nos sobre o que faltará para existirem medidas que punem este comportamento. Há carrinhas alugadas, combustível pago para que os membros das claques ilegais possam acompanhar a equipa, condições e preços especiais na compra de bilhetes… Depois de sabermos tudo isto, depois de sabermos que Vieira reúne com os membros das claques ilegais, que lhes dá instruções e lhes faz pedidos, depois de vermos as declarações contraditórias entre Vieira e Rui Vitória… Se isto não fosse trágico dava para rir", disse ainda.

"Vieira nunca esteve nessas festas de aniversário, nem se deve lembrar que se chama Luís Filipe Vieira. O que é que falta? O Benfica tem de ser obrigado a não apoiar as claques ou então a legalizá-las. Tem de haver um momento que temos de dizer basta a este clima de impunidade. O que Vieira fez naquele discurso, foi gozar com um país inteiro, com as autoridades judiciais, com o IDPJ, as forças de segurança que vigiam e garante o bom comportamento das claques ilegais…", finalizou, recordando o discurso do presidente no almoço oficial da Supertaça.

Autor: Bruno Fernandes