Nuno Saraiva não se mostrou surpreendido com a troca de e-mails envolvendo Pedro Guerra, Adão Mendes, Paulo Gonçalves, Luís Filipe Vieira e Mário Figueiredo, denunciada pelo diretor de comunicação do FC Porto, referindo que tal comprova um 'modus operandi' do qual "toda a gente já suspeitava".

"O conteúdo destes e-mails não é totalmente surpreendente. Aquilo que está nos e-mails é apenas e só a materialização daquilo que toda a gente já suspeitava que acontecia. Não sei a veracidade dos e-mails, sei que há vários indícios que parecem atestar a mesma veracidade. Desde logo o modo como um dos visados, Pedro Guerra, que não desmentiu a existência dos e-mails e estranhou o conteúdo e a linguagem dos e-mails, o que pode indiciar que esta maneira de se referir às pessoas era uma forma corriqueira de ele se expressar. Depois, aquela amnésia seletiva de que ele padeceu, nunca negando os e-mails. O próprio Benfica não nega os e-mails e prefere falar de um ataque informático, o que, em certa medida, acaba por significar também a confissão de que estas trocas de e-mails existiram. Por fim, Mário Figueiredo acabou por confirmar que a troca dos emails com Luís Filipe Vieira é verdadeira", afirmou o diretor de comunicação do Sporting na 'Sporting TV'.

"Representa um modus operandi muito particular de um clube, o Benfica, que parece neste momento pôr e dispor sobre tudo e sobre todos. Põe e dispõe sobre as nomeações de delegados, põe e dispõe sobre as nomeações de árbitros, põe e dispõe de classificações de árbitros e delegados e as suas avaliações. Tem, inclusive, poder através de um funcionário seu de influenciar revisões de notas de árbitros, árbitros amigos. Põe e dispõe relativamente ao então presidente da Liga, que não hesita dizer 'estou e estive sempre ao teu lado'. Como é possível um presidente da Liga tomar parte e tomar parte de um clube contra todos os outros? Isto é o aparelho do Benfica, que se estende muito além do futebol português. O peso do Benfica, o tal polvo que se fala, alastra-se e tem vários braços além do futebol português", acrescentou.

Descida de divisão

Nesse sentido, Saraiva pediu a descida de divisão do Benfica por corrupção, lembrando o que está escrito no Regulamento Disciplinar da Liga, e a anulação dos últimos quatro campeonatos.

"Se tudo se comprovar digo uma coisa muito simples. Isto não pode continuar e o regulamento tem de ser cumprido. E ele é muito claro no seu ponto 65. 'Um clube que direta ou indirectamente exerça ou abuse da sua influência, real ou suposta (…), com o fim de obter comportamento ou decisão destinados a modificar ou falsear a veracidade e autenticidade de documentos, procedimentos e deliberações, assim como o resultado ou desenvolvimento regular dos jogos das competições desportivas, será punido com a sanção de descida de divisão e acessoriamente com a sanção de multa de montante a fixar entre 250 UC e o máximo de 1000 UC'", vincou, rematando: 

"Se tudo isto se comprovar, os títulos nestes quatro anos devem ser retirados e não ser atribuídos a ninguém. Para a história deve ficar que houve um período em que o título não foi atribuído a ninguém porque houve alguém que o ganhou ilegitimamente."

Árbitros afastados temporariamente

A finalizar, Nuno Saraiva defendeu que os árbitros referidos nos tais e-mails não sejam chamados a apitar até que a situação seja resolvida: "Os árbitros implicados devem ser impedidos de arbitrar pelo Conselho de Arbitragem (CA). Ficaram com uma conotação e seria bom que o CA os protegesse e os considerasse inaptos para apitar enquanto isto não fosse esclarecido."

Autor: Alexandre Moita