Octávio Machado reagiu este domingo, no programa "Golos", da CM TV, às acusações que Nuno Saraiva fez em entrevista a Record, admitindo não entender por que razão os seus elogios a Jorge Jesus são tão mal vistos em Alvalade, deixando depois claro que o adversário é outro.

"Se quisesse acabar com isto, mostrava as sms que tinha no meu telemóvel, mas fica para outro dia. Vou mostrar um dia destes... Ele que agradeça aos sportinguistas, para não ir mais longe, por uma razão muito simples: eu quero que o Sporting ganhe. Não fui eu que, num erro de comunicação, quando a guerra entre FC Porto e Sporting estava no auge, que coloquei o Sporting na ponta da navalha. Denegrir o presidente do Sporting? Está lá ele! Para que é que precisa de mim? Ele encarrega-se disso! Se quisesse fazer o trabalho dele, porque me convidavam e pagavam bem, mas eu disse que não. Nunca pensei que causasse tanta alergia eu dizer bem do Jesus e do Sporting. Com toda a fraqueza, elogiar o Jesus e o Sporting pelo que tem feito nos últimos anos: a qualidade, valorização de ativos, causa tanta alegria ao diretor de comunicação do Sporting. Fico espantado! Para mim o Sporting está acima de tudo e de todos! Essa é a minha diferença. Para ele, é a pessoa que está acima de tudo. Para mim a instituição está acima de tudo! É uma diferença enorme", começou por referir.

Continuando na resposta a Nuno Saraiva, o antigo dirigente dos leões recorda o jogo de Chaves e um episódio que, no seu entender, daria um livro. "Ele não conhece o futebol. Eu não sei de onde ele veio... Ah esperem! Conhece os seus dotes. Que o jogo de Chaves dava para um livro. Ele a jogar à bola nos corredores com o presidente. Tinha dotes, mas não passou daquilo. Não vou alimentar, pois não quero desestabilizar. Ameaças? Eu concretizo tudo!", garantiu.

A finalizar, Octávio Machado deixa claro que não é o adversário do clube e que os atuais dirigentes estão distraídos consigo. "O Sporting é o todo. O Jesus é quem trabalha com os jogadores, não é mais ninguém. A comunicação perde campeonatos, como sucedeu há dois anos, por uma má comunicação a determinada altura. Porque alguém quis ser o grande falcão e embrulhou-se todo. No caso do túnel, por exemplo, não diz que houve duas pessoas que não foram ouvidas. O Raúl José e o Nélson! Por que é que o Sporting não disse nada? Andam distraídos. Distraídos comigo! Eu não adversário, antes pelo contrário. Não sabem o que é um balneário, têm falta de experiência", finalizou.

Autor: Fábio Lima