Fonte policial garantiu a Record que os radicais que invadiram Alcochete e atacaram jogadores e treinadores pertencem à Juve Leo, têm uma forte ligação ao antigo líder Fernando Mendes (o mesmo que se travou de razões com alguns jogadores no Aeroporto Cristiano Ronaldo), ter-se-ão encontrado à saída da Ponte Vasco da Gama e estacionaram os carros a uma distância assinalável da Academia, para evitarem as câmaras dos jornalistas e as próprias câmaras de segurança do recinto.

A operação coordenada pelo comando distrital da GNR de Setúbal durou até bem perto das 23 horas, altura em que os últimos jogadores (acompanhados por Jorge Jesus) deixaram as instalações do clube leonino.

Autores: Alexandre Carvalho e Alexandre Moita