Record

Rafael Leão relata telefonema ameaçador de Bruno de Carvalho

Situação ocorreu após o comunicado conjunto dos jogadores e é descrita na carta de rescisão

• Foto: MoveNotícias

Rafael Leão revelou na carta de rescisão enviada a 14 de junho ao Sporting que os então dirigentes da SAD, liderada por Bruno de Carvalho, destruíram-lhe um sonho que estava a construir em Alcochete.

"Os dirigentes da SAD do Sporting Clube de Portugal conseguiram destruir um sonho que o signatário veio alimentando e construindo até aos 19 anos de idade", pode ler-se no documento ao qual Record teve acesso.

O jogador endereçou depois críticas especificamente ao agora ex-presidente dos leões: "É público que o signatário, e o plantel em geral, nunca beneficiaram do apoio do Sr. Presidente".

Apontando o dedo às críticas que Bruno de Carvalho fez ao plantel, isto ainda antes do jogo de Madrid, Rafael Leão explicou que já não conseguia sair à rua com medo de sofrer represálias: "Foi comum que o subscritor fosse interpelado na rua acerca da prestação da equipa, abordado por adeptos insatisfeitos e que repetiam as palavras que o Sr. Presidente, publicamente, proferia. Passou o subscritor a ter dificuldade em levar uma vida normal, por ser alvo de animosidade na rua, em restaurantes, e até nos meios de comunicação social".

Por fim, e já depois de os jogadores terem reagido num comunicado público, é dito na carta de rescisão que Bruno de Carvalho fez ameaças, exigindo que Leão tirasse o comunicado das suas redes sociais: "A situação ficou deveras pior, quando o pai do subscritor recebeu um telefonema do Sr. Presidente, afirmando e ameaçando: "o puto que tire o comentário, senão vai haver problemas".

A carta de rescisão de Rafael Leão: os argumentos para deixar o Sporting
Por Luís Miroto Simões
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas

M M