Record

Assinatura Digital Premium Saiba mais

Rui Barreiro: «Se Godinho Lopes quisesse ir à AG teria de ser com escolta policial»

Ex-membro do Conselho Leonino ouvido esta quinta-feira em julgamento

• Foto: Raquel Wise
Decorreu esta quinta-feira a segunda sessão do julgamento da ação interposta por Godinho Lopes, ex-presidente do Sporting, contra Bruno de Carvalho, presidente dos leões, Jaime Marta Soares, presidente da mesa da assembleia geral do Sporting, e Jorge Bacelar Gouveia, antigo líder do conselho fiscal.

Durante as cerca de duas horas e meia foram ouvidas duas testemunhas. O primeiro foi Rui Barreiro, ex-membro do Conselho Leonino, que prestou declarações por videoconferência.

Durante o seu depoimento, Rui Barreiro realçou que da parte de Bruno de Carvalho sempre sentiu "um total antagonismo à direção anterior", reiterando mesmo que a ideia que era passada era que a direção de Godinho Lopes "tinha sido uma desgraça para o Sporting".

"Tinha a sensação que a direção tinha envergonhado o Sporting. Esta atitude foi desde o início. Sempre ouvi comentários sobre a antiga direção. A auditoria serviu para atacar as anteriores direções. Claramente que as notícias sobre as auditorias eram intencionalmente colocadas na comunicação social. Queriam dar cabo da reputação de Godinho Lopes. As notícias preparavam as assembleias gerais. Se Godinho Lopes quisesse ir à AG teria de ser com escolta policial. Bruno de Carvalho convidou Godinho Lopes para a AG? Não faz sentido nenhum. A não ser naquele jogo de 'eu dou oportunidade para virem cá ou não virem'. Foi criado um ambiente permanente de guerrilha para Godinho Lopes. Danos são irreparáveis", explicou Rui Barreiro durante a audiência.

Godinho Lopes esteve na segunda sessão do julgamento e saiu do Palácio da Justiça acompanhado pelos advogados Henrique Abecasis e Andersen Guimarães sem prestar quaisquer declarações aos jornalistas.

Recorde-se que depois de expulso de sócio do Sporting, em 2015, Godinho Lopes avançou com uma queixa contra Bruno de Carvalho onde exige 500 mil euros (que serão doados a uma instituição).

Além de Rui Barreiro, nesta segunda sessão de julgamento foi ouvido também António Sousa Duarte, assessor de comunicação do Sporting, que trabalhou com Godinho Lopes durante alguns meses, depois de ter sido assessor de José Eduardo Bettencourt.

A terceira sessão do julgamento está agendada para o próximo dia 19, onde vão ser ouvidas mais quatro testemunhas.
Por André Ferreira
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Sporting

Notícias

Notícias Mais Vistas

M M