O Sporting prepara-se para tomar uma posição drástica na sequência da polémica em torno da derrota com o V. Setúbal, que determinou o afastamento da equipa da Taça CTT. O núcleo duro da estrutura de futebol, com Bruno de Carvalho e Jorge Jesus à cabeça, passou ontem o dia em reflexão em Alvalade, no sentido de delinear uma estratégia que permita ao clube lutar pelo que considera a reposição da verdade desportiva.

As conclusões dos diversos contactos desenvolvidos nas últimas horas, não só internamente mas também com entidade externas, serão conhecidas hoje, por meio e em formato a definir, mas é certo que os leões vão pedir responsabilidades ao mais alto nível e anunciar medidas enérgicas, necessariamente duras, em resposta a uma situação que entendem ter ultrapassado os limites no jogo do Bonfim, onde a decisão de Rui Oliveira em assinalar um penálti nos instantes finais espoletou uma onda de contestação e revolta sem precedentes, na época em curso, por parte de jogadores, equipa técnica e dirigentes.

Os leões apontam baterias à arbitragem, que responsabilizam em grande percentagem pelos insucessos da temporada em várias frentes, e suspeitam, sabe Record, de uma campanha orquestrada pelo Benfica, com o objetivo de fragilizar instituição, presidente e treinador, razão pela qual estão dispostos a ir até às últimas consequências para apurar a verdade dos factos e denunciar as alegadas manobras de bastidores.

Boicote e corte de relações

Na perspetiva do Sporting, o problema nem sequer é novo, simplesmente Setúbal terá sido a gota de água que fez transbordar o copo. Os verdes e brancos argumentam, nessa lógica, que o encontro de quarta-feira mais não foi do que o espelho de uma realidade com que foram confrontados ao longo de toda a última época, convictos de que o rival da Luz poderá estar por trás do prejuízo que reclamam ter sido vítimas em momentos-chave, como agora.

As ações concretas podem, pois, passar por um bloqueio ou boicote parcial à Taça CTT, algo que já ocorreu há dois anos, quando o clube prometeu disputar a prova só com jogadores dos juniores e da equipa B. Uma forma de protesto direcionada em particular ao organizador da competição, que é a Liga. Por algo que é tido como desrespeito a normas de conduta e a compromissos assumidos anteriormente, o corte de relações com o V. Setúbal é outra das decisões em equação (e que pode ser extensível a outros emblemas, mediante iguais circunstâncias).

Exposição para várias entidades

Uma das medidas que o Sporting está a ponderar é o envio de uma exposição, focada nas questões da arbitragem, para as autoridades competentes, nomeadamente desportivas, como a FIFA e a UEFA, mas também governamentais. Trata-se de um dos instrumentos legítimos ao dispor do clube, no âmbito do prometido combate pela verdade desportiva, que será reforçado.

Quinteto liderou jornada de reflexão

A jornada de reflexão q ue decorreu ontem em Alvalade foi liderada por Bruno de Carvalho. Nela participaram ainda o técnico Jorge Jesus, o administrador da SAD Guilherme Pinheiro, o assessor do conselho de administração Sancho Freitas e o diretor de comunicação Nuno Saraiva. Foram promovidos contactos complementares com outros responsáveis e entidades.


Autor: Vítor Almeida Gonçalves