Mesmo depois de ter visto Moufi expulso logo no início do encontro, o Tondela ainda esteve a vencer o Sporting de Braga e a derrota (1-2) apenas surgiu na sequência de um autogolo caricato do capitão Ricardo Costa logo a abrir a segunda parte. Por isso, Pepa não deixou de salientar a forma como a sua equipa respondeu às adversidades no encontro deste domingo.

"Há momentos marcantes no jogo, como a expulsão aos dois minutos. Não deixam de ser 90 e tal minutos com menos um homem. É uma infelicidade tremenda, um erro tremendo. Depois, sofrer um golo aos 44 minutos numa bola bombeada na área, onde sinceramente fomos infelizes, foi o segundo soco. O terceiro soco foi sair do balneário cientes do que tínhamos de fazer para ganhar o jogo ou agarrarmo-nos com tudo ao ponto que estava, sofremos um autogolo caricato", resumiu o técnico.

"Isto podia ter descambado, se a equipa não mantém o rigor e a organização e a cabeça fria. Não descambou, porque o pessoal foi muito guerreiro, organizado e crente. Não tenho nada a apontar. Houve erros, pagam-se caríssimos, mas são pormenores que não vão acontecer sempre. Há que dar os parabéns a quem ganhou e desejar boa sorte na Liga Europa, porque precisamos disso para o nosso país. Ninguém pode sair daqui de cabeça para baixo ou envergonhados. Tudo fizeram para que o resultado fosse diferente. Não conseguimos, parabéns ao Braga pela qualidade dos jogadores e a vitória que conseguiram, acrescentou.

E apesar da derrota, Pepa mostra-se confiante no futuro da equipa. "Estávamos todos ansiosos para que o jogo começasse, entrámos com dois pontas de lança e sentíamos que íamos provocar muitos danos no Braga. De um canto a nosso favor dá uma expulsão nossa? Respirámos fundo. Agora de 11 para 11 ia ser giro, ia ser difícil, mas estávamos muito confiantes para os três pontos. Esses dois lances muito infelizes, para não dizer três, marcam muito o jogo, mas a atitude, organização e entrega foi cabal. Desta forma, com esta atitude e organização mais pontos virão no futuro, a curto prazo", frisou.

"Estamos a três pontos do meio da tabela, independentemente da posição. Essa pressão está completamente ao lado. Tenho confiança total no grupo de trabalho", concluiu o técnico.

Autor: Lusa