No final da tarde de ontem, correu a informação de que Fernando Nogueira, conhecido por Bruxo de Fafe, tinha sido agredido por um grupo de adeptos do Vitória, no final do jogo com o Feirense. No entanto, contactado por Record, Fernando Nogueira desmentiu veemente essa versão, assumindo que foi ele o agressor, tendo reagido a uma série de insultos, de "um senhor na casa dos 60 anos", a ele e à sua esposa.

"Sou sócio do Vitória há 40 anos e vou muitas vezes ao estádio. Estava com a minha mulher, com o meu filho e com a namorada dele. Como não tenho gostado das exibições, mostrei lenços brancos ao Pedro Martins no final. E critiquei algumas coisas, o que é normal para um associado, tenho direito a expressar-me. Depois, à saída, estava a conversar com alguns adeptos e houve um que me insultou e insultou também a minha esposa. E isso eu não admito. Meteu-se com a pessoa errada, sou cinturão negro em artes marciais. E agredi-o. Mas não foi nada de especial, tudo serenou rapidamente e nem sequer foi preciso chamar a polícia", assegurou a Record o Bruxo de Fafe, garantindo que foi um episódio pontual e que os próprios amigos do senhor que o insultou lhe deram razão. "Viraram-se contra ele e deram-me razão a mim. Moro em Fafe, é verdade, mas sou do Vitória e sou sócio há 40 anos. Tenho o mesmo direito dos outros a criticar aquilo que acho que não está bem. E saí da confusão sem qualquer problema, mantive-o longe e não conseguiu agredir-me. Estou de boa saúde."

De acordo com este depoimento, as informações que apontavam para uma situação inversa, onde até teria havido a intervenção da polícia para serenar os ânimos, acabam por não se confirmar. Numa primeira fase, a indicação é que teria sido Fernando Nogueira a ser agredido, depois de ter proferido palavras insultuosas para com os adeptos do Vitória.


Autores: José Miguel Machado e Bruno Freitas