O atual presidente e candidato às eleições do Vitória de Guimarães, Júlio Mendes, disse esta quinta-feira que a questão relativa ao passivo do clube está "esclarecida".

Após o adversário na corrida ao ato eleitoral de 24 de março, Júlio Vieira de Castro, ter dito esta quinta-feira que a "redução milagrosa do passivo é um mito", por ser realçada a descida do passivo do clube - caiu dos 24 para os 9,9 milhões de euros entre 2012 e 2017 -, em detrimento do da SAD, cifrada nos 12,9 milhões em 2017, o dirigente frisou que tais questões já estão "documentadas".

"Essas questões têm sido faladas. Já estão mais do que esclarecidas, auditadas, documentadas. Não vou voltar a falar disso", disse, à margem da inauguração da sede de campanha do movimento que lidera, 'Contigo Vitória', no largo do Toural, em Guimarães.

O atual presidente vitoriano recusou ainda comentar as críticas do opositor nas próximas eleições relativamente à sua "legitimidade" para tomar as decisões que considerar necessárias por ter mandato como presidente do Conselho de Administração da SAD até 2019, inclusive a contratação do técnico José Peseiro por época e meia, e ainda o que pode acontecer no seio da instituição em caso de perder as eleições, frisando que "na política, não há cenários".

Com a primeira sessão de esclarecimento da campanha agendada para hoje, na freguesia de Urgezes, Júlio Mendes acrescentou que, durante a campanha até 24 de março, vai limitar-se a explicar a "aposta" que pretende para o "próximo triénio", já a "pensar a longo prazo", inclusive na "preparação do centenário", em 2022.

Questionado ainda sobre o processo disciplinar ao avançado da equipa principal de futebol Junior Tallo, anunciado na sequência da goleada caseira com o Sporting de Braga (5-0), o responsável dos minhotos não esclareceu o efeito da ação até agora levada a cabo.

Júlio Mendes disse ainda que esteve hoje numa reunião na sede da Federação Portuguesa de Futebol acerca da criação de um campeonato de futebol sub-23, ideia para a qual olha de "forma muito favorável", até pelo trabalho que, a seu ver, o Vitória tem feito na formação.

"Temos feito um trabalho extraordinário nesta área, com convocados para as seleções, com jovens formados localmente a integrar a nossa equipa B e a nossa equipa principal. Não podíamos estar em maior sintonia com a Federação Portuguesa de Futebol", concluiu.

Autor: Lusa