É um Hurtado cansado mas supermotivado aquele que regressa esta tarde aos trabalhos em Guimarães. O criativo brilhou ao serviço do Peru e marcou um dos dois golos com que a sua seleção bateu o Equador, mantendo assim intactas as esperanças no apuramento para o Mundial da Rússia, em 2018.

Por isso, a confiança de Hurtado neste regresso a Portugal não poderia ser maior, até porque o próximo adversário do Vitória é o Boavista, um rival de muito boa memória para o peruano. Na época passada, minhotos e axadrezados encontraram-se em três ocasiões (duas para o campeonato e uma para a Taça de Portugal), sendo que Hurtado fez o gosto ao pé em todos esses jogos. No duelo da Taça, foi mesmo um golo de livre do peruano a garantir o triunfo suado (2-1), alcançado apenas no prolongamento.

Apesar da importância que teve no último jogo do Peru, Hurtado apenas jogou 25 minutos em duas partidas e, por isso, o cansaço que poderá sentir prende-se unicamente com as longas viagens a que esteve sujeito. Vai manter a titularidade com o Boavista e terá a missão de ajudar a contrariar a tendência recente do Vitória, que não marca desde a jornada inaugural do campeonato. Um problema que, por enquanto, não preocupa Pedro Martins, que referiu recentemente, em entrevista, ter total confiança nos três pontas-de-lança do plantel (Rafael Martins, David Texeira e Estupiñán).

Sturgeon na sombra

Relativamente à ausência de concorrência para Hurtado no plantel, o treinador adiantou que está a preparar um trunfo para o lugar. "O Sturgeon está a ser preparado para jogar aí e dá-me totais garantias", referiu Pedro Martins à Rádio Fundação.

Autor: José Miguel Machado

Temas:

Equador