O treinador do Vitória de Guimarães, Pedro Martins, desejou este domingo que a equipa dê continuidade aos jogos fora de casa da época passada e vença o Estoril, na segunda jornada da Liga NOS, na segunda-feira.

Os vimaranenses terminaram o último campeonato na quarta posição, após terem obtido o melhor registo da história longe do seu estádio, com 33 pontos, fruto de 10 vitórias, três empates e quatro derrotas, e o técnico disse esperar um grupo "personalizado", a saber o que "tem de fazer", para alcançar na segunda-feira os três pontos no reduto dos canarinhos e continuar a tendência do ano anterior.

"Queremos dar continuidade àquilo que fizemos na época passada, inclusivamente fora. Queremos continuar a ser uma equipa forte, no seu todo, e também preparada para fora ter um bom campeonato, que lhe permita ser consistente", disse, na antevisão à partida com os canarinhos.

O timoneiro vitoriano alertou para um embate "duro", frente a uma equipa "difícil", com "bons princípios ofensivos e defensivos" e "tecnicamente muito evoluída no seu todo", mas mostrou-se convicto de que a sua equipa já superou a "exigência" da estreia na prova e vai entrar melhor do que na primeira ronda, ante o Desportivo de Chaves (triunfo por 3-2), que, a seu ver, teve "mérito" no início da partida.

"Acredito que a equipa já esteja adaptada e preparada, até porque já fizemos jogos fora, e essa exigência normalmente tende a acontecer em casa, fruto de os adeptos serem em maior número. Isto acontece com o Vitória, como acontece com todas as equipas", explicou.

O técnico disse ainda não estar surpreendido com o desempenho de Vigário no lado esquerdo da defesa, numa fase em que o concorrente Konan está lesionado, tendo realçado que o antigo extremo, de 21 anos, mostrou, na equipa B, o que era capaz de "produzir", depois de já ter passado pela equipa principal (estreou-se na época 2014/15).

Pedro Martins confessou, porém, estar mais surpreso com o ala Hélder Ferreira, o outro elemento titular no início da presente época, que é oriundo da equipa secundária, da 2.ª Liga, lembrando que o jogador, de 20 anos, "fez apenas uma época como profissional" e tem de cumprir um "processo de adaptação", por causa do "ritmo competitivo".

O treinador recusou ainda falar sobre o caso de Rincón, extremo colombiano, de 23 anos, ex-Tigre (Argentina), que não tem treinado com a equipa, depois de ter sido oficializado pelo Vitória em julho, tendo dito que o seu "foco" está apenas nos 27 jogadores que lidera no momento.

O Vitória de Guimarães desloca-se ao terreno do Estoril em partida da segunda jornada, agendada para as 19 horas de segunda-feira, no Estádio António Coimbra da Mota, que será dirigida pelo árbitro Carlos Xistra, da Associação de Futebol de Castelo Branco.

Autor: Lusa