Rafael Miranda, médio do Vitória de Guimarães, afirmou esta terça-feira que a equipa quer "entrar para a história" com novo recorde pontual na Liga NOS, no jogo de sábado com o líder Benfica, da 33.ª jornada.

A formação vimaranense, quarta classificada, igualou o máximo de 62 pontos da época 1995/96 com uma vitória por 1-0 sobre o Arouca na jornada anterior, a sétima seguida (também um recorde), e o brasileiro, de 32 anos, afirmou que o plantel está a preparar o desafio com a ideia "entrar para a história" frente a uma equipa que também a pode fazer, pois, em caso de triunfo, garante o 36.º título de campeão nacional e um inédito tetracampeonato no palmarés.

"Ainda temos os nossos objetivos no campeonato, independentemente da Liga Europa já estar definida. Podemos entrar para a história deste clube. A nossa semana está relacionada com as nossas ambições e não com aquilo que o adversário pretende neste fim de semana", disse, à margem de uma visita à Escola EB1 de São Roque, em Guimarães, na qual foi acompanhado pelo lateral-esquerdo Konan.

O jogador reforçou, por isso, que o "foco" é "superar os 62 pontos", num embate frente a um "clube grande" que gera sempre "motivação", ainda para mais na "situação em que o Benfica está", tendo dito, quando questionado sobre os eventuais festejos do título pelos encarnados, que o Vitória pode "aproveitar isso" para se motivar ainda mais.

O emblema minhoto nutre ainda uma hipótese remota de subir ao terceiro lugar, ocupado pelo Sporting, com 67, mas Rafael Miranda lembrou que "para isso acontecer", os leões teriam de "perder os dois jogos" - defrontam Feirense e Desportivo de Chaves -, pelo que prometeu uma equipa a jogar com tranquilidade no Estádio da Luz.

"A confiança da nossa equipa é evidente. Vamos respeitar o adversário a todo o momento, porque é uma grande equipa, mas essa tranquilidade de arriscar pode ser um ponto positivo", salientou.

Além da partida de sábado, com início às 18:15, as duas equipas vão encontrar-se novamente na final da Taça de Portugal, no Estádio Nacional, em Oeiras, a 28 de maio, e o médio esclareceu que os dois jogos vão ser "diferentes" e antecipou que os vitorianos vão chegar "muito fortes" ao Jamor, apesar de não saber se o técnico Pedro Martins vai gerir a equipa até lá.

"O Pedro [Martins], a equipa técnica tiveram muita consciência nisso durante o ano, e não vai ser agora que vão errar nesse sentido. Eles estão preparados para gerir o grupo, e ainda faltam três semanas para a final", disse.

O Vitória já garantiu o quarto lugar na Liga NOS e a presença na fase de grupos da Liga Europa na próxima época, e o futebolista brasileiro lembrou que a meta europeia foi um objetivo assumido desde o início da época, mas reconheceu que alcançar o quarto lugar com "três jornadas ou quatro de antecedência" foi "muito bom", ainda por cima com um "número tão grande de pontos" de diferença (11) para o rival Sporting de Braga, quinto, com 51.

Rafael Miranda assumiu ainda que esta tem sido a sua melhor época no futebol português em "termos de resultados" - quarto lugar e final da Taça de Portugal -, apesar de ter considerado que fez "bons jogos" na passagem pelo Marítimo, clube que representou entre as épocas 2009/10 e 2012/13.

Autor: Lusa