Raphinha está em alta e encara a deslocação ao Estoril com a mira num objetivo inédito na sua carreira: o extremo, de 20 anos, nunca marcou em três jogos oficiais consecutivos e pode alcançar esse feito nesta jornada depois de ter exibido a sua pontaria contra Benfica e Chaves.

A eficiência renovada na finalização ganha grande importância no plano pessoal, dado que Raphinha tem a responsabilidade de ajudar a colmatar o défice de golos provocado pelas baixas de Marega e Hernâni. Os dois elementos emprestados pelo FC Porto somaram 26 golos na época passada, enquanto o brasileiro se ficou apenas pelos quatro tentos, um pecúlio que está em vias de ser significativamente incrementado em 2017/18.

Para encontrarmos Raphinha a marcar em dois encontros consecutivos, é preciso recuar à temporada 2015/16, quando atuava na 2ª Liga pelo V. Guimarães B. Nessa altura, festejou consecutivamente contra Chaves e Oliveirense, mas esteve mais cinco encontros sem voltar a marcar. Ainda por cima, tendo chegado no mercado de inverno, era utilizado pelo técnico Vítor Campelos como um trunfo que saltava do banco.

A grande novidade do atual figurino dos vitorianos prende-se com o maior protagonismo de Raphinha, que agora tem lugar firme entre as primeiras opções e está a corresponder. Isto sem mostrar ter perdido o foco pelas notícias que o envolvem em movimentações de mercado. O seu foco é o de crescer no Berço.

Autor: José Miguel Machado