Já passaram mais de dez anos mas o dia 4 de fevereiro de 2006 continua bem vivo na memória de Fábio Felício e as recordações de então foram agora avivadas com a proximidade do embate entre o seu atual clube e o Benfica, para a Taça de Portugal. Naquela data o futebolista algarvio contribuiu, com um golo, para a derrota dos encarnados, por 3-1, em Leiria, frente à União local.

"Já defrontei várias vezes o Benfica. Perdi jogos mas também ganhei e empatei e até marquei golos", lembra Fábio Felício, assinalando que estes duelos contra os grandes "são sempre os mais desejados pelos jogadores, pois não é todos os dias que se defronta uma das maiores equipas do país, num ambiente sempre diferente, marcando por um grande mediatismo."

O médio, de 35 anos, não acredita que o Benfica viva uma crise: "A fase não é boa mas assim que voltarem às vitórias deixa de se falar em crise... Vamos procurar evitar que isso aconteça este sábado, sabendo que nos espera um adversário de qualidade, mesmo que apresente jogadores que não têm sido titulares. Se olharmos para a chamada segunda linha do Benfica são quase todos internacionais..."

O Olhanense, garante Fábio Felício, "tem um grupo muito bom, que joga futebol de qualidade, com miúdos que podem chegar longe. Todos apontam o Benfica como favorito e é natural que assim seja mas dentro do campo são 11 contra 11 e se o Benfica quiser ganhar terá de correr mais do que nós..."

Ivo Nicolau: "Crise é pau de dois bicos"

O experiente defesa-central Ivo Nicolau diz que a propalada crise do Benfica "é um pau de dois bicos, pois podem acusar alguma ansiedade mas por outro lado sabem que precisam de voltar urgentemente às vitórias e não facilitarão um milímetro, mesmo tendo em conta que alguns titulares poderão ficar de fora, devido à proximidade do jogo com o Manchester United."

Por isso, diz Ivo, "estamos preparados para todos os cenários, sabendo que em qualquer caso teremos pela frente uma das melhores equipas nacionais, com forte presença nas competições europeias nas últimas épocas, o que é sinal da qualidade que estará do outro lado."

O jogo será no Estádio Algarve. "Em Olhão teríamos outra força", assinala o defesa. "Conhecemos melhor este campo, o apoio dos nossos adeptos seria mais audível e o próprio relvado dificultaria a tarefa do Benfica. Mas a nossa equipa também tem qualidade, também gosta de jogar em bons pisos, e vamos seguramente registar uma boa prestação."

Tiago Barros: "Retirar-lhes confiança"

O médio Tiago Barros garante que "só o nome do Benfica expressa as dificuldades que iremos sentir, pois teremos pela frente uma equipa muito forte e com grande qualidade individual", o que não faz o Olhanense deitar a toalha ao chão de antemão: "Tentaremos mostrar o nosso futebol e mostrar-lhes que estamos ali para discutir o jogo. Se lhes conseguirmos retirar um pouco da confiança as nossas possibilidades aumentarão."

Já para outro médio, Galassi, o Olhanense "não tem nada a perder, frente a uma grande equipa, conhecida na Europa. A responsabilidade está do lado deles e tentaremos mostrar que também temos qualidade e poderemos discutir o jogo."
 

Autor: José Manuel Martins