Bruno Saraiva, treinador do Olhanense, não esconde a sua simpatia pelo Benfica mas isso, garante, "não retira ambição": "Fazendo parte de uma família de benfiquistas, todos ficarão muito felizes se o Olhanense seguir em frente na Taça de Portugal."

A vertente profissional, assegura, "assume primazia". "Luto sempre pelo melhor resultado possível, independentemente do adversário. Desejo o melhor ao Benfica, exceto quando pela frente está o clube que sirvo."

Um Benfica em crise? Bruno Saraiva não entende assim: "Os resultados e o nível exibicional estarão aquém das expectativas mas daí a falar-se em crise... É o tetracampeão, superfavorito neste jogo, pois apresenta uma qualidade individual e coletiva a anos-luz da do Olhanense."

A diferença abissal entre o potencial das duas equipas "não impede de acreditar que é possível uma surpresa". "A história da Taça de Portugal está repleta de feitos notáveis. Isso só aconteceu porque alguém acreditou. Queremos mostrar dentro de campo que acreditamos", diz Saraiva. Receber o Benfica "é um orgulho e uma honra mas queremos competir e jogar bem".

"Relva só não serve para o Benfica?"

Bruno Saraiva não esconde que gostaria de receber o Benfica no Estádio José Arcanjo, "a casa do Olhanense, na nossa cidade e mais perto dos adeptos", e deixa críticas implícitas à federação. "Sabemos o relvado que temos, o estádio que temos... Mas é pena que a FPF apenas considere que esta relva e este recinto não são dignos para receber o Benfica. E serviu para receber outros jogos da Taça de Portugal e serve para receber os compromissos do nosso campeonato? Na mesma prova, as condições exigidas para o piso ou para o estádio dependem do adversário?", questiona o treinador.

Autor: Armando Alves