O Lusitano de Évora enfrenta o FC Porto, esta sexta-feira (20H15), em jogo referente à 3.ª eliminatória da Taça de Portugal, e os jogadores dos eborenses estão determinados em contrariar o favoritismo dos dragões, embora reconheçam a tarefa hercúlea que têm pela frente.

Para William Barbosa, defesa central do Lusitano de Évora, o facto de o FC Porto apresentar-se sem alguns dos habituais titulares não será sinónimo de tarefa facilitada. "Muito pelo contrário. Isso não me deixa tranquilo, porque quem jogar vai querer mostrar ao treinador que merece jogar na equipa principal. Vão dar ainda mais trabalho do que aqueles que têm jogado como titulares", disse.

Reconhecendo que o objetivo dos eborenses passa exclusivamente pelo campeonato - o clube milita na divisão de elite da Associação de Futebol de Évora - onde a subida ao Campeonato Nacional de Seniores (CNS) está na mira, este jogador santomense, de 33 anos, dá os primeiros ingredientes para o encontro com os dragões.

"Temos de ter o máximo de concentração nos primeiros 15 minutos. Vamos dar o nosso melhor. Vamos defrontar a melhor equipa do campeonato português. Este jogo vai servir de montra aos nossos jogadores. Tenho colegas que são universitários, outros que nunca disputaram o CNS. O jogo vai servir para mostrar o que valem", defendeu.

Formado no Lusitano de Évora, Francisco Serrano, de 22 anos, reconhece que jogar em casa emprestada (no Estádio do Restelo) não facilita a vida à equipa, contudo está longe de atirar a toalha ao chão.

"O FC Porto é uma grande equipa, está na melhor forma dos últimos quatro ou cinco anos. Vamos lutar com as nossas armas. A nossa união e o facto de jogarmos há quatro ou cinco anos juntos são parte dessas armas. Em caso de vitória, iria festejar e felicitar toda a gente", concluiu.

Autor: Lusa