C-Studio i

C-Studio CM

06h20

FIFA 18: é mesmo preciso explicar?

O melhor simulador de futebol tem nova instalação
A espera terminou. O FIFA 18 chegou ao mercado e com ele uma série de novidades que vão ajudar a que este verdadeiro fenómeno de popularidade da EA Sports continue a alimentar de forma clara o epíteto de "o jogo do mundo". A empresa responsável pelo simulador de futebol que nos apaixona ano após ano não quis descurar nenhum detalhe e, por isso, em mais uma instalação do jogo há muitos e bons motivos para ficar colado à ação.

Desde logo a continuação de "A Caminhada" do nosso bom e velho Alex Hunter. Apoiado no motor Frostbite, uma novidade que arrancou no FIFA 17, voltaremos a ter a aventura do jovem craque inglês no sempre complicado e muitas vezes insidioso mundo do futebol. O amigo que se torna inimigo, o agente que nos engana e o companheiro de equipa que tudo faz para nos infernizar a vida. Detalhes de uma narrativa ainda mais apurada do que aconteceu no primeiro capítulo desta saga e que nos dará uma voz ainda mais ativa nas decisões do nosso jogador. E é precisamente neste Modo "A Caminhada 2" que voltaremos a encontrar e a interagir com algumas das grandes estrelas do futebol mundial, como é o caso do nosso Cristiano Ronaldo, Gyasi Zardes, Rio Ferdinand e muitos mais. Um registo diferente, que pegou de estaca no FIFA 17 e que agora, no novíssimo FIFA 18, tem todas as condições para melhorar e muito a experiência de todos os utilizadores.

Cinco modos de jogo
Convém não esquecer de que este é apenas um de cinco modos de jogo aos quais também convém estar muito atento. No Modo Carreira, por exemplo, teremos agora a possibilidade de discutir as transferências cara a cara com treinadores adversários e jogadores. Ao invés do habitual ecrã sensaborão, no qual trocávamos missivas com outros clubes, agora podemos visitar as instalações dos diferentes emblemas e negociar em pessoa, tendo como nova opção celebrar logo nesse momento uma hipotética cláusula de rescisão, tão em voga no mundo real e que ainda não tinha réplica no universo FIFA. Além disso, de forma a dotar o modo de um realismo ainda mais assinalável, teremos "cutscenes" das conferências de imprensa de apresentação dos jogadores que contratamos.



Melhorias introduzidas
As próximas linhas têm de ser dedicadas, inevitavelmente, àquilo que podemos considerar como novidades de gameplay. Existem melhorias claras na textura gráfica do jogo, o que faz com que seja mais fluido. Se a isto juntarmos a afinação que foi feita no sistema de animação, contamos com um jogo mais realista e em que realmente conseguimos replicar tudo aquilo que vemos no estádio ou na televisão. Além disso, a filosofia de cada equipa é agora ainda mais bem retratada. Ou seja, o Barcelona jogará sempre em posse, enquanto o Atlético de Madrid terá sempre aquela agressividade e rebeldia com que se apresenta na vida real.

Durante os jogos, o público está mais interventivo. Podem dizer adeus aos bonecos mal-amanhados que se limitavam a levantar e sentar na bancada. Agora temos adeptos personalizados e que podem ter parte ativa no jogo. Se marcarmos e corrermos para junto dos adeptos, eles podem até abraçar o nosso jogador, numa dinâmica muito mais imersiva e rara nos simuladores de futebol. E se passarmos por estádios sul-americanos, poderemos contar com papelinhos no relvado, cânticos mais animados e uma efusividade bem diferente da que encontramos, por exemplo, no fleumático Santiago Bernabéu.



Substituições sem pausa
Já que falamos da partida jogada no relvado, o que dizer da novidade das substituições rápidas? A par do pontapé de saída apenas com um jogador e algumas mudanças nos lances de bola parada e penáltis, é esta a grande novidade. Agora, surge no ecrã a indicação de uma possível substituição para a nossa equipa, em que são apresentados os dois jogadores a trocar. Se concordarmos, basta carregar no botão e a substituição é efetivada. Uma nova "feature" que ajudará a manter a dinâmica de jogo, sem pausas desnecessárias.

Ultimate Team
Quem vive e respira FIFA sabe que o Ultimate Team é um dos projetos mais acarinhados pela EA Sports, até porque garante muitos milhões de euros todos os anos. Este ano contamos com a introdução dos Icons, cartas destinadas às lendas do passado, que vêm substituir as Legends. A grande alteração está nas versões de cada um dos jogadores, ou seja, cada um conta com três "cromos" correspondentes a uma fase do jogador em causa. Por exemplo, com Ronaldinho Gaúcho, contamos com versões do jogador dos tempos de Paris SG, Barcelona e Milan.



Que o jogo comece
Feitas as contas, temos pela frente mais um saboroso desafio. Todos os modos de jogo foram renovados, existem mudanças de gameplay que beneficiam os utilizadores, e, na "novela" de Alex Hunter, a trama parece mesmo estar a adensar-se e a refinar-se em termos narrativos. Não há mesmo muito mais a dizer. O FIFA 18 chegou, a nossa vida vai mudar e certamente com um sorriso nos lábios.

Partilhar
M M